Aventura na cozinha

Aprenda a preparar french toast, a rabanada francesa, do zero

Pão é frito em pouca manteiga e não por imersão em óleo

Rabanada à francesa

Rabanada à francesa Juliana Ventura/Folhapress

Olá, cozinheiros! Bem-vindos a mais uma aventura na cozinha!

Todo mundo concorda que rabanada é um clássico, principalmente na época do Natal. Confesso, no entanto, que nunca gostei. Ainda que seja uma preparação tradicional e saborosa, até as mais sequinhas rabanadas sempre me pareceram demasiadamente gordurosas.

Mas nunca tive a mesma impressão com as torradas francesas. Lindas e feitas na frigideira, fazem menos sujeira (em geral) e podem ser parte de um café da manhã reforçado ou brunch (junção das palavras que significam café da manhã e almoço em inglês: "breakfast" e "lunch") em qualquer época do ano –inclusive durante a quarentena.

A grande diferença entre a rabanada e a torrada francesa é o método de cocção. Enquanto a primeira é frita por imersão em óleo, a segunda é praticamente salteada em um pouco de manteiga, apenas o suficiente para que fique crocante e dourada. A "french toast", inglês para "torrada francesa", na França mesmo é chamada de "pain perdu", que significa "pão perdido", já que era utilizado pão amanhecido em sua confecção, para que fosse completamente aproveitado.

A primeira referência ao prato, porém, está no "Apício", uma coleção de receitas que data da época do Império Romano e indica uma preparação de fatias de pão fritas e cobertas com mel. Aqui, uso um chalá, pão típico de festas judaicas.

Segundo Jessamyn Waldman Rodriguez no livro "Pão Quente" (R$ 117, 304 págs., Companhia de Mesa), trata-se de um alimento com significado. Uma trança de três pontas significa verdade, paz e justiça, por exemplo, enquanto uma redonda representa continuidade. Usei a receita dela, presente neste livro, para a foto que ilustra esta coluna.

Muitos dizem que é possível usar brioche ou mesmo pão de forma industrializado para fazer a torrada francesa. Sempre uso pão chalá, pois tem uma consistência rica, que impede que o pão fique molhado demais ao ser mergulhado na mistura de leite e ovos. Sobre isso especificamente, a dica é bater bem para dissolver as claras que podem fritar por si só no pão, dando um aspecto estranho.

Os "pains perdus" são melhores se servidos saídos da frigideira. Aqui, aparecem avulsos com banana e mel e em uma versão com a fruta e doce de leite. Frutas frescas e sorvete são uma ótima ideia, assim como o simples açúcar e canela –aquele mesmo da rabanada. Então, (não se esqueça de ficar em casa se possível e) vamos para a cozinha? Até a próxima!


TORRADA FRANCESA

Dificuldade: Fácil
Rendimento: 8 torradas

Ingredientes
8 fatias grossas de pão tipo chalá (ou brioche)
2 ovos
1 ½ xícara (chá) de leite
1 colher (café) de extrato de baunilha
2 colheres (sopa) de açúcar
8 colheres (sopa) de manteiga sem sal

Modo de fazer

  1. Bata todos os ingredientes em uma tigela com um garfo ou preferencialmente com um batedor de arame.

  2. Esquente uma frigideira e coloque uma colher de manteiga.

  3. Embeba cada fatia de pão na mistura líquida por alguns segundos de cada lado.

  4. Frite na manteiga dos dois lados até dourar.

  5. Repita a operação usando uma colher de sopa de manteiga para fritar cada uma das fatias.

(A)ventura na cozinha

Juliana Ventura, 35, é jornalista formada pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), pós-graduada em gastronomia pela Universidade Anhembi Morumbi e professora de culinária para crianças.
email: aventuranacozinha@grupofolha.com.br
Instagram: @venturanacozinha

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem