Aventura na cozinha

Receita de arroz frito oriental usa grão cozido que sobrou da véspera

Preparo de prato é rápido e pode ser consumido como refeição completa

Aprenda a fazer refeição completa rápida e com inspiração oriental

Aprenda a fazer refeição completa rápida e com inspiração oriental Juliana Ventura/Folhapress

Olá, cozinheiros! Bem-vindos a mais uma aventura na cozinha!

Não sabe o que fazer com o arroz que sobrou do almoço ou do jantar do dia anterior e está sem tempo? Não entre em pânico, nós temos a solução. De inspiração asiática, o arroz frito de hoje fica pronto em cerca de meia hora –considerando-se que os grãos já estarão cozidos ao início do preparo– e não precisa de acompanhamento para caracterizar uma refeição completa.

A receita leva ovo e cogumelos e agrada aos vegetarianos. No entanto, a base serve para outras combinações, como brócolis com carne, frango com pimentão ou camarão com ervilhas, por exemplo. A rapidez do preparo é comum a práticos orientais preparados em wok, a panela côncava que permite cozimento rapidíssimo, pois ela chega a altas temperaturas.

Como conta Bee Wilson no livro "Pense no Garfo! Uma História da Cozinha e de Como Comemos" (R$ 35,90, 344 págs., Zahar), a wok, ao lado da faca dao, que normalmente chamamos de cutelo e pode, a depender da habilidade de quem a manuseia, cortar tudo em pequeníssimos pedaços em curto espaço de tempo, permitia aproveitar ao máximo o combustível escasso na China Antiga. "O máximo de sabor, com o mínimo de energia."

Nosso objetivo é resgatar essa ideia e contribuir para diminuir o desperdício na cozinha. Assim, usa-se o arroz (para melhorar o aproveitamento, desfaça de grãos grudados que se formam antes de começar) de ontem e os talos do cogumelo para dar sabor. E basicamente o que você quiser e tiver na geladeira.

Uma boa dica de finalização, além da imprescindível cebolinha, é usar óleo de gergelim e amendoim torrado. Outro ponto em que é necessário ter atenção: a quantidade de molho de soja leva em conta que o arroz usado foi temperado com algum sal. Na dúvida ou receio de salgar demais, adicione aos poucos.

Vamos para a cozinha? Até a próxima!


ARROZ FRIO ORIENTAL

Dificuldade: Fácil
Rendimento: 4 pessoas

Ingredientes
2 e 1/2 xícaras (chá) de arroz cozido
200 g de cogumelo shitake
3 ovos
3 talos de cebolinha
¼ xícara (chá) de molho de soja
2 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (sopa) de vinagre de arroz
2 colheres (sopa) de óleo vegetal (milho ou girassol)
1 colher (sobremesa) de mirin

Modo de fazer

  1. Separe os talos do shitake e pique bem.

  2. Aqueça uma frigideira grande de bordas altas e coloque o óleo. Refogue os talos até ficarem macios. Acrescente o mirin e deixe evaporar.

  3. Adicione o shitake fatiado e refogue até ficar macio. Reserve.

  4. Bata os ovos e coloque em uma frigideira antiaderente aquecida com um fio de óleo. Espalhe bem para fazer uma omelete fina. Reserve.

  5. Corte a omelete em fatias.

  6. Coloque o arroz cozido, o cogumelo e as fatias de omelete na frigideira. Acrescente a mistura de molho de soja, açúcar e vinagre e misture bem até que tudo esteja aquecido. Experimente e veja se falta sal. Se sim, acrescente um pouco mais de molho de soja.

  7. Salpique a cebolinha por cima.

  8. Se quiser, sirva com algumas gotas de óleo de gergelim e amendoim torrado.

(A)ventura na cozinha

Juliana Ventura, 35, é jornalista formada pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), pós-graduada em gastronomia pela Universidade Anhembi Morumbi e professora de culinária para crianças.
email: aventuranacozinha@grupofolha.com.br
Instagram: @venturanacozinha

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem