Aventura na cozinha

Aprenda a receita de filhoses, doces típicos de Portugal servidos em ceias de Natal

O melhor é fazer a receita no dia em que for ser servida

Receita de filhoses, pãezinhos fritos cobertos de açúcar e canela
Receita de filhoses, pãezinhos fritos cobertos de açúcar e canela - Juliana Ventura/Folhapress

De acordo com a página online do governo de Portugal que lista os produtos tradicionais portugueses, as filhoses são uma especialidade das cidades interioranas do país. Não se sabe, porém, a data de sua criação –acredita-se ser parte da alimentação nacional há muito tempo, principalmente, nas épocas festivas.

A verdade é que nunca houve Natal sem filhoses na minha casa (portuguesa, com certeza). A receita, que aprendi com minha avó materna, natural de Lisboa, compartilho aqui e espero que encha de memórias boas a festa natalina do leitor, assim como há 35 anos faz comigo.

Diz o dicionário que ‘filhó’ é uma massa de farinha e ovos estendida, frita e passada por calda de açúcar. Na minha versão (e muitas outras que encontrei ao pesquisar), o açúcar é polvilhado com canela por cima dos discos de massa fritos.

Há lendas que dizem que esses círculos achatados seriam modelados nos joelhos das portuguesas, mas essa técnica não me foi passada. Aqui, abriremos a massa com as mãos e cuidado. Entre as dicas, ressalto a que diz respeito à quantidade de farinha usada na receita. A qualidade do produto e o tanto de água que é capaz de absorver mudam de acordo com a marca adquirida. Portanto, é importante sentir a massa.

Sei que parece difícil, mas uma boa massa de filhó é elástica e desgruda das mãos, sem ser seca. Por isso, é importante adicionar a farinha aos poucos e ver como a massa se comporta. Outra dica essencial é não deixar de utilizar a cachaça. A aguardente confere às filhoses sua textura ideal: uma massa que não chega a ser crocante nem pesada.

O melhor é fazer a receita no dia em que for ser servida. No caso, dia 24 de dezembro. Porém, há muitos que conheço que preferem a iguaria no dia seguinte, quando o açúcar derreteu ligeiramente e foi um pouco incorporado pela massa. A quem gosta de sabores portugueses, um conselho final: filhoses com queijo de ovelha e vinho do Porto. Não tem igual, pode acreditar!

Vamos para a cozinha? Até a próxima!


FILHOSES

Dificuldade Médio
Rendimento 24 unidades  

Ingredientes

- 300 g de farinha de trigo
- 3 ovos
- 1 col. (sobremesa) de açúcar
- 1 pitada de sal
- 50 g de manteiga
- 10 g de fermento biológico seco
- 2 col. (sopa) de cachaça
- 1 litro de óleo de milho (ou o suficiente para fritar)
- 1 xíc. (chá) de açúcar
- 2 col. (sopa) de canela em pó

Modo de fazer

  1. Aqueça a manteiga por cerca de 30 segundos no micro-ondas ou até que derreta. Em uma vasilha, misture a manteiga, o açúcar, o sal, os ovos e a cachaça. Bata ligeiramente com um garfo.

  2. Adicione metade da farinha e coloque o fermento. Misture com uma colher de pau. Nesse momento, possivelmente, já será viável colocar as mãos na massa. Vá adicionando a farinha aos poucos enquanto trabalha a massa.

  3. O ponto certo será alcançado quando a massa desgrudar das mãos: as farinhas absorvem mais ou menos água dependendo da marca, portanto, é importante observar como a massa se comporta e dosar a farinha de acordo com essa análise.

  4. Faça uma bola com a massa e deixe-a descansar por cerca de uma hora, em um recipiente coberto com um pano, em lugar não muito frio (pode ser o forno desligado ou o micro-ondas).

  5. Aqueça o óleo em uma panela. Divida a massa em pequenas esferas e abra-as, com as mãos, em círculos achatados. Frite as filhoses até que estejam douradas dos dois lados. Polvilhe açúcar e canela e sirva.

(A)ventura na cozinha

Juliana Ventura, 33, é jornalista formada pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), pós-graduada em gastronomia pela Universidade Anhembi Morumbi e professora de culinária para crianças.
email: aventuranacozinha@grupofolha.com.br
Instagram: @venturanacozinha

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem