Cinema

'As pessoas querem fugir da realidade insana', diz Simon Pegg sobre 'Jogador Nº 1'

Filme de Steven Spielberg sobre realidade virtual se passa no ano de 2045

O ator Simon Pegg poses na estreia europeia de "Jogador Nº 1" em Londres
O ator Simon Pegg poses na estreia europeia de "Jogador Nº 1" em Londres - Anthony Harvey/AFP

Julia Alves
São Paulo

“Jogador Nº 1”, filme de Steven Spielberg, se passa no ano de 2045, quando  a população vive em um ambiente virtual chamado Oasis para fugir da realidade. 

Para Simon Pegg, 48, que vive no longa o personagem Ogden Morrow, cocriador do Oasis, é crescente a vontade das pessoas de viverem em um universo paralelo conforme o mundo se torna exponencialmente mais insano.

Sinto que esse filme vai perdurar por muito tempo. A história está quase 30 anos no futuro e é completamente plausível imaginar que estaremos vivendo desta forma. Poderemos vestir uma roupa tecnológica e fugir de nossas vidas”, afirma.

Pegg argumenta que as referências aos anos 1980 não foram utilizadas no filme “Jogador Nº 1” apenas para divertir de modo gratuito, mas fazem parte do universo do personagem, obcecado pela cultura pop

Fã do segmento e de ficção científica, o ator afirma ter ficado extasiado quando viu o DeLorean, carro-símbolo do filme “De Volta Para o Futuro” (1985). “Usar as referências é um jeito esperto de ser nostálgico.”

Sobre as filmagens, ele conta que Spielberg decidiu, da noite para o dia, gravar com oito câmeras para dar tridimensionalidade a uma das cenas. “Ele queria passar a impressão de que o espectador está se movendo em volta da cena. E conseguiu, é claro, porque ele é quem é.”

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem