Cinema e Séries
Descrição de chapéu Televisão

'La Casa de Papel': Marselha diz ser chamado de Belchior por fãs brasileiros

Casado com carioca, Luka Peros conta segredos da série e que quase foi Bogotá

Luka Peros como Marselha em 'La Casa de Papel' Divulgação/Netflix

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

"Acho que só a altura e o cabelo bonito", brinca Luka Peros, 45, quando perguntado se tem alguma semelhança com Marselha, o personagem de "La Casa de Papel" que o fez conhecido em todo o mundo. Em entrevista ao F5, ele revela ser bem mais brincalhão e menos sério que o integrante do bando que roubou o ouro da reserva nacional da Espanha na série.

"E eu também falo bem mais que o Marselha", afirma o ator croata, que assim como o resto do mundo se despediu no começo deste mês da série espanhola da Netflix. Os últimos episódios da quinta e última temporada foram disponibilizados no dia 3 deste mês e seguem entre os mais vistos da plataforma.

Na trama, Marselha nunca esteve dentro do Banco de España (equivalente ao Banco Central do país) com os demais colegas. Ele era responsável por controlar o que estava acontecendo do lado de fora, sendo uma espécie de braço direito do Professor (Álvaro Morte) —o cérebro por trás do grupo de assaltantes com nomes de cidade.

Durante a entrevista, realizada na semana passada, o ator confessou que ainda não assistiu ao aguardadíssimo desfecho da trama. "Não consegui ver os últimos episódios", disse. "Tivemos que fazer a divulgação, viagens... Não sei nem qual final eles escolheram."

Espera aí, quer dizer então que o elenco gravou mais de um final? "Uma parte do bando gravou um final, mas estava dependendo de outra situação, então não sei como resolveram", desconversa. No final (pule as próximas linhas se não quiser saber), os assaltantes ganham novas identidades e são transportados de helicóptero para viverem novas vidas.

O ator confessa, no entanto, que não saber o que iria ao ar não era uma situação incomum nos bastidores da série. "Eles sempre nos deram os roteiros na última hora", conta. "Enquanto a gente gravava, eles iam reescrevendo outras cenas para gravar depois. E quando você ia ver, eles haviam misturado na montagem cenas dos episódios 6, 7 e 8, por exemplo. Tudo era sempre muito inesperado."

Das gravações, diz que o que mais vai sentir saudades é dos colegas de elenco e da equipe de filmagens. "Mantenho contato não só com os atores, mas com pessoas da equipe, câmeras e demais", afirma. "Eles se tornaram ótimos amigos. Do elenco, sou mais próximo do Pedro Alonso [Berlim] e do Darko Peric [Helsinki], mas também estou no grupo de Whatsapp do elenco, onde damos apoio uns aos outros, desejamos feliz aniversário e por aí vai."

Além das lembranças, ele diz que tem alguns objetos que vai guardar como recordação. "Eu tenho o macacão vermelho e a máscara de Dali que a Netflix nos mandou como agradecimento", diz. "E também roubei uns oito a dez pares de meias que eu estava com muito frio para tirar depois de um dia de gravações ou que eu simplesmente esqueci de tirar."

Ele conta que deveria ter pensado em levar um dos elegantes sobretudos do personagem. "Isso teria sido legal, porque era a marca registrada do Marselha", afirma.

Peros revela que, por pouco, não ficou com outro personagem da série. "Na verdade, eu fiz teste para o Bogotá [papel que ficou com o ator Hovik Keuchkerian]", lembra. "Cerca de seis semanas depois, meu agente me ligou dizendo que haviam chamado outro ator para o papel. Fiquei bem triste na hora."

Porém, logo na sequência, ele descobriu que queriam que ele fizesse o papel de Marselha. "Eu não entendi que Marselha se referia à cidade francesa", diz. "Pensei que era um cara qualquer. O que quer que fosse, eu daria meu melhor e veria o que sairia dali. Mas não sabia que era o braço direito do Professor. Tinha muito pouca informação. Na verdade, ainda hoje eu tenho muitas perguntas sobre o Marselha [risos]."

O personagem foi introduzido na terceira temporada da série, e ganhou ainda mais destaque a partir da quarta leva de episódios. O ator revela que o papel foi ganhando força e acabou tendo seu destino modificado.

"O plano inicial para Marselha é que ele deveria matar o Ángel [personagem de Fernando Soto], que estava apaixonado pela inspetora Murillo [Itziar Ituño] e depois a polícia o mataria", afirma. "Mas Álex Pina e os demais roteiristas estão constantemente mudando o roteiro."

"Ninguém —nem mesmo eu— sabia onde o Marselha iria parar", diz. "Foi algo muito interessante, mas também uma coisa difícil de certa maneira. Eu nunca podia esperar o que viria a seguir. Foi um processo que demandou muito de mim."

Porém, o resultado foi mais do que satisfatório, uma vez que a série se tornou um fenômeno com fãs espalhados por todo o mundo. Isso mudou a vida de todo o elenco, incluindo a dele.

"O sucesso global da série ficou mais do que óbvio para a gente", avalia. "Eu sou reconhecido nas ruas, mesmo quando estou de máscara e chapéu. No começo, quando eu tirava a barba e cortava o cabelo mais curto no verão, era mais difícil para os fãs me notarem, mas agora eles já se acostumaram a isso também."

Já nas redes sociais, os brasileiros são maioria. "Mais de um oitavo de todos os meus seguidores do Instagram são do Brasil", comenta. Recebo muito amor, apoio e mensagens maravilhosas dos fãs brasileiros."

E o que eles dizem? "Te amo, bigodudo", diz em português. "Te amo, Belchior. Acho que eu devo parecer com o cantor Belchior. Também me chamam de fofinho, fofo e me fazem pedidos de casamento. Mas sobre esses últimos, lamento, vocês chegaram tarde [risos]."

Isso porque o ator já é casado —com a brasileira Paula Feferbaum. "Nos conhecemos há 11 anos e meio quando ela estava de férias na Croácia", explica. "Fomos nos conhecendo aos poucos, depois ficou mais sério, noivamos, nos casamos e agora temos um filho [David Luis, 9]."

É por causa desse vínculo que Peros arrisca algumas palavras em português —ele também fala croata, inglês, espanhol, italiano, francês e alemão, entre outras (ao todo são 10 idiomas). "Aprendi muito de português em casa, ouvindo minha mulher falando com meu filho e com a família dela", conta. "Eu entendo bastante, mas não falo tão bem. Quando tento falar, eles sempre me caçoam."

Peros espera em breve poder praticar o idioma no Brasil, país que ele ainda não teve oportunidade de conhecer. "Minha mulher é de Copacabana [bairro da zona sul do Rio]", diz. "Adoraria conhecer o Rio, São Paulo, Recife e Búzios. Vi muitas fotos de Búzios porque a família da minha mulher tem uma casa lá."

Enquanto isso não acontece, Luka Peros diz quais serão seus próximos passos após o encerramento da série que o projetou internacionalmente. "Estou fazendo muitos testes", comemora. "Devo fazer dois filmes e também fiz casting para uma série aqui na Europa, essa última com coprodução americana. Tenho vários projetos a caminho. Por enquanto, estou feliz com a repercussão positiva do fim de 'La Casa de Papel'."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem