Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Cinema e Séries
Descrição de chapéu Cinema

Chris O'Donnell diz que gravar na pandemia não afetou história de 'NCIS: LA'

Série americana estreia sua 12ª temporada com menos episódios

NCIS: Los Angeles estreia 12ª temporada nesta sexta-feira (5). - Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Após atrasos e incerteza, a série americana “NCIS: Los Angeles” (A&E) estreou nesta sexta-feira (5) no Brasil sua 12ª temporada, gravada já com medidas de segurança para evitar a contaminação pela Covid-19. Para Chris O’ Donnell, 50, que interpreta o chefe da equipe e especialista em disfarces G. Callen, nada na história foi afetado pela pandemia.

"Mas [mudou] sim o modo de ser filmado", ressalta ele em entrevista por telefone ao F5. "A prioridade número um era manter todos saudáveis e bem”, explica O’ Donnell, destacando que os atores ficaram mais distantes nas cenas. Além disso, o número total de episódios também será menor nessa temporada. Serão 18, sendo que as anteriores tiveram ao menos 22 cada uma.

No ar desde 2009, a série americana conta a história de agentes treinados que trabalham com toda a tecnologia disponível para prender criminosos e manter a segurança nacional. Segundo o cantor de hip-hop e ator LL Cool J, 53, que dá vida ao agente Sam Hanna, a produção está agora sendo "tão inovadora quanto pode ser, e nos divertimos muito com isso”

Para o cantor, o segredo para a série se manter com tantos fãs após mais de uma década é que ela sempre busca ser atual. “Tentamos nunca perder o tato com o que está acontecendo”, explica. Um dos pontos que ele também enxerga como interessantes na série é a relação entre a Geração Z e os Millenials, retratada com Sam Hanna e seus filhos Kamran (Layla Crawford) e Aiden (Tye White).

Para o artista, as melhores partes da nova temporada, além das cenas de ação, são os momentos de interação com a sua filha, que “está ficando mais velha e tem novas necessidades”, nas palavras de O’Donnell. Na trama, a esposa de Sam Hanna, Michelle, foi morta em uma explosão no penúltimo episódio da 8ª temporada.

Já sobre os novos desafios de G. Callen, Chris O’ Donnell afirma que o ponto alto de seu personagem até agora foi ter encontrado o pai e aprendido mais sobre a história de sua família. Agora, na 12ª temporada, o foco estará em seu relacionamento com Anna, que deve ir para outro nível. "Pode até ter casamento", afirma o ator.

Na trama, Anastasia Kolcheck, conhecida como Anna (Bar Paly), participava eventualmente de operações do NCIS. Tida pelos fãs como impetuosa e independente, ela se torna interesse amoroso de Callen.

Além das novas aventuras que Sam e Callen irão encontrar, a nova temporada também traz como novidade a atriz portuguesa Daniela Ruah, 37, que vive a agente especial Kensi Blye, atuando por trás das câmeras. Ela estará na posição de diretora, como parte da equipe de produção dos novos episódios. “Nós temos a melhor equipe de Hollywood”, ela chegou a afirmar em seu Instagram.

“Daniela mantém os olhos e ouvidos abertos. Ela sabe como falar com os atores, e esse é um bom começo para essa nova parte de sua carreira”, afirma O'Donnell, que já interpretou Robin nos filmes "Batman Forever" (1995) e "Batman e Robin" (1997). “Ela fez um trabalho fenomenal e eu queria apenas torná-lo mais fácil”, complementa LL Cool J.

LL Cool J afirma que após trabalhar tanto tempo com o mesmo elenco trouxe lições valiosas. “Aprendi muito sobre humildade atuando com esse personagem. Aprendi que não é só sobre si mesmo, mas é sobre um time e eu levo isso de ter trabalhado na série”. Tanto ele quanto Chris O' Donnell estão na produção desde a primeira temporada.

“O legado da série é provar que pessoas trabalhando juntas fazem o mundo melhor. É isso que os nossos personagens fazem”, afirma o rapper. Para a alegria dos fãs, por mais que os personagens tenham obrigações em arcos fora da equipe da polícia, “eles sempre voltam a trabalhar juntos nas investigações”, completa Chris O’ Donnell.

LL Cool J continua: “Trabalhar com entretenimento tem seus desafios, mas é uma questão de fazer o que se ama e dar o seu melhor. Eu não faço nada pela metade”, diz ele, que também mantém sua carreira musical. Seu último álbum, “Authentic”, foi lançado em 2013 e é o 13º trabalho de estúdio do rapper.

Apesar do orgulho de seu trabalho em "NCIS: Los Angeles", O'Donnell não parece muito empolgado para ver os novos episódios da série. Segundo ele, é mais divertido rever os antigos. “Tem coisas que eu não lembro de ter feito, então assisto como se fosse um telespectador da série”, conta.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem