Cinema e Séries

Ex-secretário da rainha Elizabeth critica série 'The Crown' por sugerir um romance 'infundado'

Produção mostra aproximação da rainha com gerente de corridas

Imagem da terceira temporada de 'The Crown'
Imagem da terceira temporada de 'The Crown' - Courtesy of Sophie Mutevelian /
Londres

O ex-secretário de imprensa da rainha Elizabeth, Dickie Arbiter, criticou no jornal The Sunday Times a série histórica “The Crown” da Netflix, sobre a família real britânica, por sugerir um romance “infundado” entre a monarca e seu gerente de corridas de cavalos.

“É algo deselegante e totalmente infundado”, criticou Arbiter. “A rainha é a última pessoa no mundo que sequer consideraria olhar para outro homem”, diz ele.

A rainha, hoje com 93 anos, se apaixonou e casou com o príncipe Philip em 1947. Ela tinha então 21 anos e o casamento ocorreu cinco anos antes de ascender ao trono.

Na série da Netflix, a atriz Olivia Colman, 45, interpreta a rainha. O controverso episódio será lançado no próximo domingo (17).

Nele, segundo o The Sunday Times, a monarca visita alguns lugares nos Estados Unidos e Austrália com Lord Porchester, administrador de seu estábulo, que ela chamou de “Porchie”. 

Isso gerou suspeitas do príncipe Philip. “Se tem algo a me dizer, diga agora”, diz a rainha no início do episódio. “E caso não, se me permite, estou muito ocupada”, acrescenta.

O marido da rainha aparentemente decide deixar as coisas como estão e não diz nada.

Segundo o The Sunday Times, a rainha “permaneceu perto de Porchie até sua morte em 2001”. Mas também destaca que nada prova que eles eram mais que amigos.

“The Crown é ficção”, afirma o ex-secretário de imprensa da soberana.

“Ninguém conhece as conversas entre os membros da família real, as pessoas contam histórias que desejam e dão a elas um toque de sensacionalismo”, completa.

O Palácio de Buckingham não comentou o caso.

AFP
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem