Cinema e Séries

Netflix é processada por editora por episódio interativo de 'Black Mirror'

Motivo seria uso do conceito de 'escolha sua própria aventura' usado na série

Cena d Black Mirror: Bandersnatch
Cena de Black Mirror: Bandersnatch - Divulgação

São Paulo

Um desenrolar "não tão Black Mirror assim" se seguiu ao mais recente episódio da série de ficção científica que se transformou em sensação mundial.

Isso porque a Netflix, que produz a serie, está sendo processada em US$ 25 milhões pelo novo episódio interativo de "Black Mirror", lançado em dezembro.

O episódio "Bandersnatch", que tem a duração de um longa-metragem, permite aos telespectadores tomar decisões em diferentes pontos da história, afetando os resultados que encontram pelo caminho.

Mas a editora americana Chooseco, responsável pela série de livros "Choose Your Own Adventure" ("escolha sua própria aventura", em tradução livre), que já vendeu mais de 250 milhões de livros ao redor do mundo, afirma que a sua própria marca está sendo usada injustamente. 

A empresa entrou com um processo contra a Netflix, afirmando que a plataforma de streaming está usando uma associação com sua marca para chamar atenção para "Bandersnatch".

"A Chooseco e a Netflix realizaram extensas negociações ao longo de muitos anos, mas a Netflix não recebeu a licença [para usar a marca]", afirma a Chooseco no processo. 

"Em ao menos uma ocasião antes do lançamento de 'Bandersnatch', a Chooseco enviou pedidos para que a Netflix desistisse de usar a marca 'Choose Your Own Adventure' para fazer marketing para um programa de televisão", continua. 

Segundo o processo, "Bandersnatch" faz uma referência explícita à série de livros quando o personagem principal conta ao seu pai sobre ela. 

A Netflix não se manifestou sobre o caso. 

 
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem