Cinema e Séries

Frank Underwood está morto, mas assombra a temporada final de 'House of Cards'

'Seria desonesto tentar apagá-lo como personagem', disse diretor

Diane Lane posa em lançamento de "House of Cards" em Los Angeles
Diane Lane posa em lançamento de "House of Cards" em Los Angeles - Mario Anzuoni-22.out.2018/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Lisa Richwine
Los Angeles

Na última temporada de "House of Cards", da Netflix, Frank Underwood está fisicamente ausente, depois de ter morrido inesperadamente durante o sono. Mas o fantasma do político inescrupuloso interpretado por Kevin Spacey assombra sua esposa e sua jovem presidência. 

Os roteiristas da aclamada série dramática tiveram que repensar a história depois das acusações de abusos sexuais contra Spacey que levaram à sua saída da série que transformou a Netflix em um grande representante da produção nobre da televisão.

O final da saga dos Underwoods, que segundo os produtores é uma temporada de “avaliação”, chegará à plataforma no dia 2 de novembro. Na conclusão da última temporada, a esposa de Frank, Claire, interpretada pela atriz Robin Wright, olhava para a câmera e declarava “Minha vez”, marcando uma alternância de poder enquanto ela se tornava a primeira mulher presidente dos Estados Unidos. 

Depois da saída de Spacey, os produtores executivos e roteiristas Frank Pugliese e Melissa James Gibson disseram que os envolvidos no programa sentiam que queriam continuar com uma sexta e última temporada. “Parecia impossível, inaceitável acabar daquele jeito”, disse Pugliese, em uma entrevista. 

Os oito novos episódios não giram em torno da ausência de Frank. O primeiro episódio revela sua morte durante o sono no início, mas deixa a causa da morte como o assunto de um mistério permanente. “Seria muito desonesto tentar apagá-lo essencialmente como um personagem”, disse Gibson. “Acho que isso não honraria as raízes da série."

Spacey foi indicado cinco vezes ao Emmy por seu papel em “House of Cards”. Mas, em novembro do ano passado, a Netflix rapidamente cortou seus laços com o ator após alegações de abusos sexuais aparecerem. Ele foi acusado por mais de 20 homens e não disse nada publicamente sobre as acusações desde um pedido de desculpas ao seu primeiro acusador em outubro de 2017. 

Reuters
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias