Celebridades

Latino diz que chegou a perder R$ 30 mi em apostas de corridas de cavalo

'Fiquei devendo a muita gente', afirma o cantor

cantor Latino
Cantor Latino - Instagram/latino
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O cantor Latino, 48, relembrou seu vício em corrida de cavalo em entrevista ao podcast Inteligência Ltda. O artista disse que chegou a perder R$ 30 milhões em apostas na década de 1990, quando estava em um bom momento na carreira.

"Eu ganhei muito dinheiro de 1992 a 1996. Foram milhões. Gravei na gringa, enfim... Muito sucesso. Consequentemente, muitas mulheres, shows e filhos. Era muito jovem, não tinha a cabeça que eu tenho hoje e me viciei em corrida de cavalos. Perdi tudo. Por baixo, perdi uns R$ 30 milhões. Apostas altas", disse.

"Quebrei, fui ao zero, fiquei devendo a muita gente e não tinha condições de pagar. Fiquei muito na merda", completou. O artista diz que na época não conseguia parar, e até chegou a pedir dinheiro emprestado para jogar, e para pagar suas dívidas precisou vender o que tinha conquistado.

"Foi nessa época que eu tive depressão, síndrome do pânico... Fiquei muito mal", conta o cantor. "Fiquei devendo agiota e lembro que os caras queriam me matar, caso eu não pagasse. Então eu fiquei muito fora da curva".

Latino ainda afirma que no início, "jogou a própria carreira no lixo". "O difícil não é fazer sucesso, mas é voltar para o topo novamente", diz o intérprete de "Festa no Apê" (2004). O artista relembra que nessa época começou a se envolver com a cantora Kelly Key, 38, que o ajudou.

"Ela estourou, infelizmente a nossa relação não deu certo. Ela seguiu a vida dela e eu continuei quebrado", disse o cantor que ao lado de Kelly Key é pai de Suzanna, 20. "Fiquei mal, por que aí eu já estava com a carreira em baixa, a menina que eu estava não queria ficar comigo e minha autoestima foi para o saco."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem