Celebridades

Bruna Marquezine, Ana Hikari e outros artistas lamentam incêndio na Cinemateca

Chamas atingiram o prédio nesta quinta-feira (29)

Bruna Marquezine
A atriz Bruna Marquezine - Instagram/BrunaMarquezine
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Artistas como Bruna Marquezine, Paolla Oliveira, Samantha Schmütz e outras celebridades lamentaram em suas redes sociais o incêndio que atingiu a Cinemateca Brasileira na noite desta quinta-feira (29). Alguns famosos também cobraram o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelo incidente.

"Histórias de vidas inteiras. Registros apagados. Ou melhor, queimados para sempre", escreveu Paolla Oliveira, 39, em uma publicação feita em seu Instagram. O acervo fica localizado na zona oeste de São Paulo e abrigava filmes de 35 mm e 16 mm, feitos de material altamente inflamável.

"O que aconteceu com a Cinemateca não foi um acidente, foi um projeto contra a arte e contra o trabalho de quem teima em sonhar e lutar pela beleza do cinema com amor e afeto", continuou a atriz. "A Cinemateca está pegando fogo. Estamos queimando junto", escreveu Bruna Marquezine, 25, nos Stories.

Carolina Dieckmann, 42, também se manifestou. "O fogo devastador... Nem toda a lágrima do mundo apaga; nem toda a lágrima. Precisamos de um mar", escreveu. A atriz Ana Hikari, 26, lamentou o ocorrido no Twitter: "Quatro toneladas de história do nosso país em forma de vídeo. Tudo queimando agora".

Hikari também classificou o acontecimento como uma "tragédia anunciada", fazendo referência aos trabalhadores da Cinemateca Brasileira, que alertaram sobre o risco de um incêndio no local em um manifesto em suas redes sociais, abril deste ano.

O youtuber Felipe Neto, 33, também compartilhou o manifesto. "É um incêndio causado pela inoperância e vagabundagem do governo federal, através do ministério do turismo. Em 12 de abril, os trabalhadores da Cinemateca avisaram que pegaria fogo", escreveu em seu Twitter.

Samantha Schmütz, 42, compartilhou a mesma imagem que Dieckmann, e citou artistas que apoiam o atual governo. "Meu coração 'arte' em chamas. Fora Bolsonaro! Fora artistas coniventes com esse asburdo, que ajudaram a eleger esse governo e seguem quietos sem se importar, mas usurpam da arte para enriquecer, enquanto verdadeiros artistas, não conseguem espaço!", disse.

O ator Rodrigo Santoro, 45, também lamentou o incêndio. "O lamentável incêndio na Cinemateca, ontem, apaga um pouco do que fomos. E o que seremos sem história? O que mais vamos precisar perder até nos darmos conta da importância da valorização da nossa memória e da nossa cultura?", refletiu.

A atriz Bruna Linzmeyer, 28, compartilhou em seu Instagram uma vinheta do último festival Janela de Cinema, de Recife, que alertava sobre o perigo de um incêndio na Cinemateca. "Uma tragédia anunciada, que muitos de nós atentamos nos últimos meses. Museu nacional, Cinemateca… qual será o próximo?", escreveu.

O prédio atingido pelo incêndio não é a sede principal da Cinemateca, que fina na Vila Clementino, na zona sul de São Paulo. Nele, ficavam guardados o acervo da Programadora Brasil, iniciativa do antigo Ministério da Cultura para exibição de conteúdo em circuitos não comerciais.

Também eram armazenados equipamentos museológicos, como projetores antigos, e documentos, incluindo quatro toneladas de arquivos sobre políticas públicas para o audiovisual, recentemente transferidas do Rio de Janeiro.

Os arquivos ainda incluem parte da documentação da Embrafilme e a totalidade daquele referente ao Instituto Nacional do Cinema e ao Conselho Nacional do Cinema.​ O incêndio teria começado durante uma manutenção, realizada por uma empresa terceirizada, no ar condiciado de uma sala no primeiro andar do imóvel. O incidente não deixou vítimas.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem