Celebridades

Naturalista David Attenborough bate Jennifer Aniston com um milhão de seguidores em 4 horas

Antigo recorde era da atriz com pouco mais de cinco horas

O naturalista britânico David Attenborough - REUTERS
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O naturalista britânico David Attenborough, 94, entrou para o Livro dos Recordes ao criar seu perfil no Instagram e atingir um milhão de seguidores em apenas quatro horas e 44 minutos. Até então, a melhor marca era da atriz Jennifer Aniston, 51, com cinco horas e 16 minutos, em 2019.

Na primeira postagem, David fala sobre os desafios e a importância de salvar o planeta. Em forma de vídeo, conta que tinha a vontade de estreitar os laços com seus seguidores de um jeito diferente. E faz questão de comentar sobre as mudanças climáticas.

“Os continentes estão em chamas. As geleiras estão derretendo. Os recifes de coral estão morrendo. Os peixes estão desaparecendo de nossos oceanos. A lista é infinita. Salvar nosso planeta agora é um desafio de comunicação”, diz ele.

Depois de completar 24 horas com o perfil, o número de seguidores já batia 2,5 milhões. Agora já está em 3,5 milhões. Os colaboradores Jonnie Hughes, um cineasta da BBC, e Colin Butfield, do World Wildlife Fund, vão ajuda-lo na missão diária de se comunicar com as pessoas pela internet.

A estreia de David no Instagram acontece pouco tempo antes do lançamento de um livro e de um documentário da Netflix, ambos intitulados “A Life On Our Planet”.

Além de David e de Aniston, outros famosos e pessoas influentes têm marcas consideráveis na velocidade de chegada ao primeiro milhão nas redes sociais. Meghan Markle, em 2019, chegou à marca em cinco horas e 45 minutos.

O papa Francisco, em março de 2016, também criou um Instagram e demorou 12 horas para atingir os sete dígitos. O ex-jogador David Beckham demorou 24 horas para que isso ocorresse, em 2015.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem