Celebridades

Concierge diz que Amber Heard recebia visitas de Elon Musk quando Johnny Depp estava fora

Trinity Esparza negou ter visto marcas de agressão no rosto da atriz

Atriz Amber Heard no sétimo dia do julgamento por difamação do ex-marido Johnny Depp contra o News Group Newspapers (NGN), no Tribunal Superior de Londres
Atriz Amber Heard no sétimo dia do julgamento por difamação do ex-marido Johnny Depp contra o News Group Newspapers (NGN), no Tribunal Superior de Londres - DANIEL LEAL-OLIVAS-15.jul.2020/ AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O caso judicial entre os atores Johnny Depp, 57, e Amber Heard, 34, tomou novos rumos nesta quarta-feira (15), após Trinity Esparza, a concierge do condomínio de luxo onde os dois moravam na época em que estavam casados, compartilhar um depoimento de testemunho e envolver mais um nome na história.

Segundo o Daily Mail, Esparza afirmou que Heard recebia visitas frequentes do empresário e CEO da SpaceX, Elon Reeve Musk, 49, quando Depp não estava presente. Segundo sua declaração ao tribunal, que está no sétimo dia de julgamento, no dia 25 de maio de 2016 –após quatro dias de uma briga em que o astro de "Piratas do Caribe" teria agredido a companheira– Heard estava com o rosto sem marcas.

Trinity Esparza acrescentou que ainda conseguiu dar um zoom no rosto de Heard pelas imagens das câmeras de segurança, para ver com mais detalhes. "Não vi machucados, cortes, inchaço, marcas vermelhas ou outros ferimentos de qualquer espécie", alegou.

A concierge informou que algumas semanas adiante encontrou Elon Musk no hall do condomínio localizado em Los Angeles, com os cabelos despenteados. Na ocasião ela teria visto também Amber Heard com "três pequenas contusões no pescoço e duas lesões no braço".

Amber Heard e Elon Musk tiveram um relacionamento antes da atriz se casar com Johnny Depp em 2015. O ator, que por sua vez acusou sua ex-mulher de manter casos extraconjugais e mentir sobre ter sido agredida por ele, está comparecendo no tribunal de Londres desde terça passada (7).

Depp está processando a editora do The Sun, News Group Newspapers, na Suprema Corte de Londres, depois que o tabloide o chamou de "espancador de mulher" em um artigo de 2018. De acordo com declaração da advogada do jornal no tribunal, o ator atacou violentamente a ex-mulher em pelo menos 14 ocasiões por três anos a partir de 2013, quando ficou furioso por ciúmes e consumia grandes quantidades de álcool e drogas.

O astro de Hollywood surpreendeu ao afirmar que Heard já ofereceu maconha à filha Lily-Rose, 21, quando ela tinha apenas 13 anos de idade. Ele disse também que levou um soco na cara da sua ex-companheira quando ela descobriu sobre a perda de US $ 650 milhões (cerca de R$ 3,47 bilhões).

O casal se conheceu no set do filme "Diário de um Jornalista Bêbado" em 2011, se casaram quatro anos depois –mas se separaram em maio de 2016, com um acordo de US$ 7 milhões no divórcio. A paz durou até que Heard escreveu, em dezembro de 2018, um artigo para o jornal The Washington Post dizendo ser uma sobrevivente de violência doméstica, sem citar o nome de Depp.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem