Celebridades

Assessor acusa Ana Paula do vôlei de homofobia e registra boletim contra ex-jogadora

Alexandre Alvim afirma que ex-atleta o chamou de bicha

Ana Paula Henkel acompanha discurso de Donald Trump, nos EUA
Ana Paula Henkel acompanha discurso de Donald Trump, nos EUA - Instagram
São Paulo

O assessor de imprensa Alexandre Alvim, 33, registrou no domingo (21) um boletim de ocorrência contra a ex-jogadora de vôlei Ana Paula Henkel, 48. Ele acusa a ex-atleta, que hoje mora nos Estados Unidos, de homofobia. Alvim afirma que eles não se conhecem pessoalmente, e que a ofensa aconteceu pela internet 18 dias após ele ter criticado uma publicação da ex-atleta no Twitter, em que ela questiona a onda de protestos contra o racismo nos EUA.

Segundo Alvim, na madrugada de domingo (21), a ex-jogadora mandou uma mensagem direta para ele no Instagram, dizendo que ele é muito brega e bicha. Ela estaria respondendo a um Stories em que ele postou a música "Black Parade", da cantora Beyoncé e que fala da luta antirracista.

De acordo com print encaminhado por Alvim ao F5, Ana Paula teria escrito para ele: "A bicha se acha linda. Você é muito brega. Puta que pariu! Hahahahaha se olha no espelho. Você é muito brega bicha."

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que o caso foi registrado como injúria na Delegacia Eletrônica e encaminhado para a Delegacia de Atibaia, onde mora Alvim. "A vítima foi orientada quanto ao prazo para representação do crime", disse a SSP.

Procurada, Ana Paula não se manifestou até a publicação deste texto.

Alvim diz acreditar que a ex-jogadora se posicionou contra ele por causa de uma crítica que o assessor fez de uma postagem dela, do dia 3 de junho. Na ocasião, Ana Paula provocou polêmica ao publicar no Twitter: “12% negros, 62% dos roubos, 56% dos assassinatos. Faça as contas”. Ela fez a publicação após retuitar um vídeo em que uma americana negra contesta o movimento antirracista que se espalhou pelos EUA após a morte de George Floyd.

De acordo com Alvim, ele mandou uma mensagem direta para ela no Instagram na ocasião, dizendo que a ex-jogadora fez uma comparação preconceituosa, racista e distorceu números. "Citei a ironia que era a geração dela sempre perder e ter apanhado fora da quadra para uma seleção preta [de Cuba], e que na posição dela, tínhamos as duas maiores centrais da história, pretas e icônicas do vôlei: Regla Torres e Magaly Carvajal”, afirmou. Ele faz referência à briga que ocorreu após a vitória de Cuba sobre o Brasil, na semifinal das Olimpíadas de Atlanta, em 1996, quando Ana Paula afirma ter sido agredida nos vestiários.

Segundo o assessor, a ex-jogadora apagou a mensagem dele. Mas, 18 dias depois do ocorrido, ela teria mandando a mensagem chamando ele de bicha e brega. "Muita gente me criticou por expor a situação por ela ser uma conservadora, dizendo que estou dando mais espaço para ela, mas acho que a comunidade LGBTQ+ já ficou calada muito tempo, chegou a hora de expor quando a gente é ofendido, por isso decidi fazer o B.O. e também por uma questão de proteção", afirmou Alvim.

Print em que Alexandre Alvim afirma ter sido ofendido por Ana Paula do vôlei
Print em que Alexandre Alvim afirma ter sido ofendido por Ana Paula do vôlei - Reprodução
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem