Celebridades

Stephen King lamenta que pessoas se sintam como se estivessem vivendo uma história dele

'Minha única resposta a isso é 'desculpe-me', diz autor

O autor Stephen King em Nova York
O autor Stephen King em Nova York - Krista Schlueter/The New York Times
São Paulo

Stephen King, 72, autor de livros como "It - A Coisa" e "O Iluminado", lamentou o fato de que alguns de seus leitores se sintam atualmente dentro de uma de suas histórias de horror, por conta da pandemia do novo coronavírus.

"Eu escuto as pessoas dizendo: 'Nossa, é como se estivéssemos vivendo uma história de Stephen King'", disse ele à National Public Radio. "E minha única resposta a isso é 'desculpe-me'".

King está isolado em casa, o que tem lhe rendido mais tempo para escrever seus livros. Ele afirma que o que o preocupa sobre o vírus é diferente do que as pessoas devem estar enfrentando.

"Não é pânico. Não é o terror o que eu sinto, que eu acho que a maioria das pessoas sente. É um tipo de ansiedade que você diz para si mesmo: 'Eu não deveria sair. Se eu sair, eu posso pegar essa coisa ou posso passar a outra pessoa '", disse.

Ele acrescentou que acredita que o coronavírus causará um impacto duradouro em sua neta, semelhante à maneira como sua mãe costumava falar da Grande Depressão, quando ele era criança.

"Quando seus filhos disserem: 'Meu Deus, estou tão entediado que não posso sair!', [minha neta] vai dizer: 'Você deveria ver em 2020, quando ficamos presos em casa por meses seguidos! Não podíamos sair. Estávamos com medo de germes", afirmou.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem