Celebridades

'Nenhum ser humano tem obrigação de ajudar ninguém', diz Léo Santana sobre doação

Cantor foi alvo de críticas por sugerir doação em troca de visualizações

Cantor Léo Santana
Cantor Léo Santana - Instagram/@leosantana
São Paulo

Em meio a pandemia do novo coronavírus, artistas brasileiros e internacionais estão promovendo campanhas e doações para ajudar a situação dos profissionais de saúde e das pessoas carentes, que estão na linha frente no combate a Covid-19.

O cantor Léo Santana, 31, foi uma das celebridades a se manifestar sobre uma doação que fará nesta sexta-feira (3), durante uma transmissão ao vivo em sua rede social. Entretanto, o músico chamou atenção negativamente de fãs e internautas ao comentar que como será feita a doação.

"Não serão dez cestas básicas doadas, seria muito injusto da minha parte, meio burrice, usar as redes sociais para divulgar simplesmente apenas dez cestas, como as pessoas interpretaram", afirmou Santana, em vídeo publicado nos Stories.

Com a ideia de fazer com que mais pessoas assistam sua transmissão ao vivo, o cantor propôs que a cada 10 mil pessoas, dez cestas básicas seriam doadas. "É fazer com que mais pessoas assistindo, mais alimentos eu vou estar doando. Só que independente disso eu já vou estar fazendo a minha doação, que é do coração."

Muitos internautas criticaram a atitude do cantor, dizendo que ele poderia doar mais e só estava interessado em ter muitas visualizações. "Ajudar alguém, pra se promover, não é decente. Ajude por ajudar sem esperar nada em troca. O cancelamento do Léo Santana é necessário", escreveu um internauta.

Nesta quinta (2) o cantor rebateu as críticas na rede social. "Nenhum ser humano tem obrigadação de ajudar ninguém. Independente de situação financeira boa ou ruim", afirmou.

Ainda assim, Santana continuou sendo alvo de julgamentos. "A pessoa querer trocar views em live pra doar sexta básica é o fim dos tempos mesmo viu", sugeriu outro usário do Twitter.

Veja a repercussão:

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem