Celebridades

Cantores de k-pop são condenados à prisão após acusação de estupro

Jung Joon Young, do grupo Drug Restaurant, foi sentenciado a sete anos de detenção

O cantor Jung Joon-young na Seoul Metropolitan Police Agency
O cantor Jung Joon-young na Seoul Metropolitan Police Agency - JUNG Yeon-Je / AFP
São Paulo

Dois famosos cantores de k-pop –Jung Joon Young, do Drug Restaurant, e Choi Jong Hoon, da F.T. Island– foram condenados à prisão nesta quarta-feira (13), após serem acusados de estupro. 

A Justiça da Coreia do Sul definiu a sentença de sete anos de prisão para Jung Joon e cinco para Choi. Segundo a acusação, eles teriam participado, filmado e compartilhado imagens de um estupro coletivo em um grupo na internet. A agressão envolve outros três homens, e teria acontecido em março de 2016, de acordo com o site sul-coreano Soompi

Em entrevista à emissora sul-coreana SBS, uma das vítimas afirma que desmaiou durante uma saída com os cantores e acordou na manhã seguinte nua e em um quarto de hotel.

Jung Joon já havia sido preso em março deste ano, acusado de ter filmado mulheres fazendo sexo e ter enviado os vídeos para grupos de mensagens, sem o consentimento delas.

"Eu lamento muito. Eu cometi erros indesculpáveis e eu admito minha culpa. Eu vou me arrepender de meus pecados por toda a minha vida", disse Jung à AFP, na época.

Além de artista solo, ele é DJ, apresentador e ator. Ele ficou conhecido, a princípio, pela participação no reality "Superstar K4", em 2012, quando foi terceiro colocado. A partir daí, a carreira decolou. 

O gênero do k-pop está na berlinda após essa avalanche de acusações de escândalos sexuais, que envolvem alguns dos principais nomes desse estilo musical. Outros cantores de k-pop, como Seungri, da banda Big Bang e Yong Jun-hyung, do Highlight, já se envolveram com o mesmo tipo de polêmica na Coreia do Sul.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem