Celebridades

Viúva há três anos, Céline Dion diz que sente falta de 'ser tocada'

Cantora vê nova turnê como oportunidade para provar sua força

Celine Dion na abertura de sua nova turnê em Quebec
Celine Dion na abertura de sua nova turnê em Quebec - Alice Chiche / AFP
São Paulo

Céline Dion, 51, sofre até hoje as consequências da morte de seu marido e empresário, René Angélil, que morreu há três anos por conta de um câncer na garganta.

Em entrevista ao programa norte-americano Today nesta quarta-feira (18), a artista confessou que ainda não está pronta para namorar ou se relacionar com alguém novo, mas que sente falta de "ser tocada e abraçada; e também de ouvir um 'você é linda'".

Mãe de três filhos (René-Charles, 18, e os gêmeos Eddy e Nelson, 8), a cantora diz que ensinou todos eles a gostarem de música e acha que podem vir a trabalhar com ela algum dia, como compositores ou até empresários.

Sobre sua nova turnê, “The Courage Tour”, que estreou nesta quarta, ela afirma que será uma oportunidade para provar a sua família, equipe e fãs que está muito bem e o quão forte ela é. “Eu nasci pra isso”, diz.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem