Celebridades

Charlize Theron fala sobre apoio ao filho de 7 anos que usa vestido por se sentir menina

Aos três anos, Jackson falou para a atriz: 'Eu não sou um menino'

A atriz Charlize Theron
A atriz Charlize Theron - AFP

São Paulo

Filho mais velho de Charlize Theron, 43, Jackson, 7, já foi algumas vezes fotografado usando saias e vestidos. Em longa entrevista ao jornal britânico Daily Mail, a atriz disse que, embora tenha nascido menino, a criança se identifica com o gênero feminino e que o seu papel como mãe é apoiá-la e respeitá-la. 

"Sim, eu também achava que ela era um menino. Até que ela olhou para mim quando ela tinha três anos e disse: 'Eu não sou um menino!'", revelou a atriz.

Além de Jackson, Charlize também é mãe da menina August, 3. "Eu tenho duas lindas filhas que, como qualquer mãe, quero proteger e ver prosperar. Elas nasceram quem elas são e poderão se encontrar na vida enquanto crescem, vão descobrir quem elas querem ser e não cabe a mim decidir", disse. 

E completou: "O meu trabalho é celebrá-las e amá-las e ter a certeza de que elas têm tudo que precisam para ser o que querem ser. Farei tudo que estiver ao meu alcance para que minhas filhas tenham esse direito e sejam protegidas por isso."

Para a atriz, o exemplo e os ensinamentos de sua mãe, Gerda, foram fundamentais para ela pensar desta forma. Criada em uma fazenda nos arredores de Joanesburgo, na África do Sul, a atriz contou que cresceu em um lugar onde as pessoas viviam com meias verdades e mentiras, mas que sua mãe a ensinou a ser diferente, a sempre ser sincera consigo mesma.  

"Eu fui ensinada pela minha mãe que você tem que falar, você tem que saber que, quando esta vida acabar, você terá vivido a verdade com a qual está confortável e que nada de negativo pode vir disso."

Charlize teve uma infância e adolescência marcada por tragédias. O seu pai era alcoólatra e espancava com frequência a sua mãe. Quando ela tinha 15 anos, o pai chegou em casa do trabalho, com uma arma nas mãos, e ameaçando matar ela e a mãe. 

Na frente da atriz, a mãe conseguiu reverter a situação e matou o marido em uma ação que foi considerada, posteriormente, como de autodefesa. 

Após a morte do pai, Gerda assumiu a empresa de construção dele, que estava cheia de problemas e dívidas, mas conseguiu dar conta de tudo. Por tudo isso, a atriz disse que a mãe foi um exemplo. 
"Eu apenas olhava para ela com a boca aberta e ficava pensando: 'Tudo bem. Eu quero ser assim também!".

Na entrevista ao jornal britânico, ela recordou que foi só um pouco mais velha ​que percebeu que as mulheres não tinham os mesmos direitos que os homens. "Nunca tive medo de ser mulher. Foi só quando eu estava sozinha e aos 20 e poucos anos que percebi que as mulheres não são respeitadas em todos os campos", disse.

NOVO FILME

Na conversa com o jornal  Daily Mail,  Charlize Theron falou também sobre o seu papel mais recente nos cinemas, no filme "Casal Improvável", que estreia no próximo dia 9 de maio, no Brasil. Na trama, ela faz Charlotte Field, secretária de Estado dos EUA, que está no caminho para se tornar a primeira mulher presidente do país.

Ela contrata o jornalista Fred Flarsky (Seth Rogen), de quem foi babá quando ele era criança, para que ele possa ajudá-la a fazer os seus discursos. Apesar de bem diferentes, eles acabam se apaixonando. 

A atriz disse que tomou cuidado para fazer Charlotte uma mulher poderosa, mas não inatingível, que sabe fazer piadas bobas e até ser um pouco pateta em alguns momentos. "Eu acho que a maior noção romântica de um filme como esse é a ideia de que você pode ser forte e capaz, e ainda ter um homem se apaixonado por você e ficar bem com isso."

Na outra ponta, ela afirma que Flarsky representa o homem moderno, uma nova geração que não tem medo de não ser machão. "Tem havido essa atitude por muito tempo que se você é um homem que está com uma mulher que é forte, ou qualquer outro adjetivo que você queira colocar aí, então, de alguma forma, isso diminui sua masculinidade. Acho que isso está mudando e que estamos vivendo em uma época em que ser uma mulher forte é mais celebrada", afirmou. 

Apesar de sua beleza, Charlize contou que não teve muitos namorados na escola e teve o coração partido por algumas paixões. "Mas então comecei a sair com os nerds e, quando estava com eles, recebia atenção. Acho que isso criou uma atração, porque ainda sou atraída por nerds", revelou ao jornal.

A atriz contou que sempre quis ser mãe e que a adoção era um caminho que pretendia seguir. Jackson foi adotado ainda bebê, em 2012. August foi adotada em 2015.  

Ela revelou que adotar não é algo simples, exige "tempo e esforço prático e emocional", mas que vale muito a pena. A atriz está solteira há quatro anos, desde que se separou do ator Sean Penn. ​
 

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem