Celebridades

Nathalia Dill diz que se sente assediada em tempo integral por ser mulher

Atriz afirma que nenhuma mulher se sente segura ao andar sozinha

Nathalia Dill é capa da revista Cosmolitan de Maio
Nathalia Dill é capa da revista Cosmolitan de Maio - Tavinho Costa/Cosmopolitan

São Paulo

Nathalia Dill, 32, acredita ainda ser preciso lutar por mais direitos para as mulheres. "Não somos estimuladas a nos tornarmos líderes e as portas não se abrem tão facilmente para nós em cargos de comando. Está vendo por que o feminismo é tão necessário?” disse ela em entrevista à revista Cosmopolitan. 

Capa do mês de maio da publicação, a atriz está no ar como Elisabeta Benedito em "Orgulho e Paixão" (Globo). Embora nunca tenha sofrido assédio no trabalho, ela diz que se sente assediada em tempo integral —e não só por sua profissão, mas principalmente por ser mulher.

"Nenhuma mulher se sente segura ao andar por aí sozinha. Eu mesma tenho medo de sair do Projac [Estúdios Globo] à noite e ser atacada. Essa é uma forma de prisão tão absurda", disse.

Por questões como essa, Dill se reconhece como feminista e levanta bandeiras políticas, como a legalização do aborto. "As [mulheres] ricas quando têm uma gravidez indesejada abortam com segurança, enquanto as pobres morrem em lugares clandestinos. Isso é ser a favor da vida?”

Nas redes sociais a atriz compartilha alguns cartazes relacionados ao feminismo, como um em que comemora o voto feminino e outro em que homenageia a vereadora Marielle Franco (***), assassinada em março de 2018.

O posicionamento, muitas vezes, rende críticas. Mas, aos 32 anos, ela diz ter aprendido a lidar melhor com os comentários. "Deixei de ter tanto medo de dar a cara a tapa. Por outro lado, brigo menos.”

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem