Celebridades

Jô Soares afirma ter sofrido assédio quando tinha sete anos

O apresentador Jô Soares
O apresentador Jô Soares - Karime Xavier-24.nov.2017/Folhapress


O apresentador, diretor e humorista Jô Soares, 79, afirmou ter sido assediado por uma pessoa do meio cinematográfico quando era menor de idade.

"Eu falo no livro sobre o cara do cinema que passou a mão na minha coxa. Eu tinha sete anos", disse Jô Soares, em entrevista à Folha na qual falou sobre sua biografia, "O Livro de Jô - Uma Autobiografia Desautorizada", a ser lançada pela Companhia das Letras neste mês.

O apresentador comentou sobre os assédios cometidos por comediantes norte-americanos e os questionamentos sobre ser possível rir das produções dos mesmos. "O caso do Bill Cosby, por exemplo, é realmente um absurdo. Ele botava droga nas bebidas. O negócio do Louis C.K. eu nem tenho muita noção. Agora, deixar de lado as coisas de talento que as pessoas já fizeram... Como é que você apaga?"

"Não sei dizer até que ponto é assédio sexual entre dois adultos, se um tem 18 anos, o que é menor de idade em alguns Estados, em outros, não. Tenho a impressão de que cada caso é um caso", afirmou.

Com quase 500 páginas, a obra conta passagens memoráveis na televisão, no teatro e no cinema, além de detalhes da vida pessoal do humorista. Ela foi escrita pelo jornalista Matinas Suzuki Jr.

MORTE DO FILHO

Nesta sexta (24), o apresentador participa do programa "Conversa com Bial" após o "Jornal da Globo". Ele se emocionou ao lembrar do filho Rafael Soares, que morreu aos 50 anos, em decorrência de um câncer. "Rafael tinha autismo, uma doença que ninguém conhecia direito quando ele nasceu. Sempre tive muito orgulho de seu talento musical. Era pianista, concertista, dono de um ouvido absoluto."

O humorista também ocupa desde 2016 a cadeira número 33 da Academia Brasileira de Letras. Ele afirmou a Bial que a posse na Academia foi um empurrão que faltava para que as memórias fossem colocadas no papel. 


Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem