Televisão

Cena da independência do Brasil em 'Novo Mundo'  vai ao ar no dia 7 de setembro

Coincidência? Não. A novela "Novo Mundo" (Globo) foi pensada estrategicamente para que os momentos icônicos da história do Brasil fossem representados com alguma fidelidade na ficção.

A trama da novela se passa no século 19 e conta algumas histórias verídicas da família real brasileira, dentre elas a Declaração da Independência do Brasil. As cenas, gravadas na última quinta (31) vão ao ar no dia 7 de setembro, em comemoração do feriado nacional. 

Caio Castro interpreta dom Pedro, em quem a cena é centralizada. Para ele, o momento foi o ápice de seu personagem, e também de sua atuação: "Eu sabia que o dia da Independência era o ponto maior. Esperei como se fosse um filho que estivesse para nascer."

No geral, os atores contam que buscaram inspiração nos dias atuais para viver o momento histórico com mais intensidade. "É emocionante ver que nosso país já começou como um sobrevivente, lutando pela própria vida. Talvez por isso ainda esteja se recuperando das quedas inicias", disse Chay Suede, que interpreta Joaquim.

A gravação da cena durou quatro horas e reuniu 160 pessoas, entre atores, figurantes e equipe de filmagem. Quanto aos figurinos, fora 80 roupas diferentes entre escravos, índios, camponeses e militares. As armas também eram muitas: 20 espingardas e dez espadas.

O diretor artístico da cena, Vinícius Coimbra, ficou muito satisfeito com o resultado e se sentiu honrado em dirigir uma cena tão importante: "Foi emocionante fazer essa cena e ter a chance de reproduzir a Independência do Brasil, proclamada por um português que se tornou brasileiro. Foi muito forte para a gente, para a figuração. Todo mundo que estava envolvido sentiu essa energia."

Vinícius também considerou importante o contexto político atual para pensar na gravação. "Estamos em um momento difícil do Brasil, que quase precisa de uma nova Independência, uma energia parecida com essa, de 200 anos atrás."

CAIO CASTRO OU DOM PEDRO?

No papel de Dom Pedro, a atuação do carioca Caio Castro surpreendeu a todos que estavam presentes na gravação. O Diretor de Arte Vinícius Coimbra comentou que todos estavam emotivos com a encenação.

"Todos ficaram comovidos, principalmente o Caio, que estava muito emotivo, sentindo e vivendo esse momento do personagem. O público vai se emocionar junto", disse ele.

Para Caio, a cena foi um desafio especial. "Queria sentir o que foi para o príncipe estar diante de tantas pessoas, uma nação tão grande, e dizer que a partir daquele momento elas não eram mais dependentes".

Caio também comenta que tentou incorporar o personagem e pensar sobre o que se passava na cabeça de Dom Pedro naquele momento. Para ele, a presença dos outros atores e toda a construção da cena foram essenciais para trazer maior veracidade ao momento.

"Queria sentir o que foi para o príncipe estar diante de tantas pessoas, uma nação tão grande, e dizer que a partir daquele momento elas não eram mais dependentes. Tentei imaginar o que ele estava pensando e sentindo na hora. O que mais me ajudou foi olhar para as pessoas, que esperavam o que eu ia dizer, pois ninguém sabia o meu texto. Estavam todos me olhando, esperando a minha interpretação, esperando eu me posicionar."

O ator também conta que se preparou com alguma antecedência, o que não costuma fazer para as cenas "normais". "Estudei o texto desde a véspera, o que não costumo fazer porque gosto de trazer o frescor da novidade, do texto e da cena. Sabia que nesse dia tinha que estar mais do que bem preparado".


Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem