Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Você viu?
Descrição de chapéu Aeroin

Empresa aérea põe 'aeromoça' a 829,8 metros de altura para gravar viral

Ela segurou cartazes no topo do Burj Khalifa, edifício mais alto do mundo

Comissária da Emirates no topo do Burj Khalifa
Comissária da Emirates no topo do Burj Khalifa - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Carlos Martins
Aeroin

O Burj Khalifa detém há muitos anos o título de edifício mais alto do mundo. Com a base no formato de uma Flor de Lótus e 829,8 metros de altura, o imponente prédio domina o horizonte de Dubai.

Também é cenário para uma série de ações de marketing. No entanto, talvez nenhuma delas seja mais impressionante do que a última ideia da Emirates, que colocou uma comissária no topo do edifício.

Ainda que muitos possam achar que se trata de uma montagem, a empresa aérea jura que não. A empresa aérea realmente colocou uma mulher vestida de comissária de bordo no topo do prédio.

Trata-se da paraquedista e dublê Nicole Smith-Ludvik, que se vestiu com o clássico véu da Emirates, e foi levada ao topo do arranha-céu para ser a protagonista de cenas incríveis. Por trás da super produção esteve a empresa Choppershoot, especialista em ações envolvendo helicópteros e drones, além da Prime Productions AMG e a TECS Event Services.

Smith-Ludvik disse em sua conta do Instagram que foi uma das “acrobacias mais incríveis e loucas que já fez”. Apesar de inicialmente a imprensa estrangeira ter divulgado que a dublê havia chegado ao topo do edifício por meio de um helicóptero, na verdade ela subiu por um acesso interno do prédio.

O objetivo da façanha era comemorar a decisão do Reino Unido de reabrir as viagens com os Emirados Árabes Unidos. O Reino Unido era um dos mercados mais importantes dos Emirados Árabes antes da pandemia, mas em janeiro o governo britânico incluiu o país em sua “lista vermelha” de viagens.

Desde então, apenas cidadãos britânicos foram autorizados a viajar de Dubai para o Reino Unido e, mesmo assim, eles precisavam ficar em quarentena em um hotel por 10 dias. Ao rebaixar os Emirados Árabes Unidos para um país da “lista âmbar”, agora qualquer pessoa pode realizar a viagem.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem