Você viu?

Loja dará rosquinha grátis a quem comprovar ter sido vacinado nos EUA

Franquia Krispy Kreme irá começar a ação na próxima segunda

Placa neon da loja de rosquinhas Krispy Kreme em Manhattan, Nova York, Estados Unidos - Site F5 - REUTERS
Los Angeles
Reuters

A rede norte-americana de rosquinhas Krispy Kreme, conhecida por suas guloseimas açucaradas perfeitamente glaceadas, deu às pessoas um outro motivo para visitar suas lojas e apreciar suas rosquinhas.

A partir de segunda-feira, qualquer pessoa que mostrar um cartão oficial de vacinação contra a Covid-19 em uma loja Krispy Kreme nos Estados Unidos receberá uma rosquinha grátis.

"Eu vim direto para a Krispy Kreme depois de ouvir a notícia", disse Tae Kim, 32, que não perdeu tempo e pegou sua rosquinha gratuita em Burbank, no subúrbio de Los Angeles, após ser vacinado na segunda-feira.

As guloseimas estarão disponíveis para todas as pessoas vacinadas, todos os dias, até 2022. Então, ninguém ficará de fora, mesmo aqueles que ainda não estão elegíveis para se vacinar, disse Dave Skena, diretor de marketing da Krispy.

Nem todos elogiaram a oferta, alguns usuários do Twitter apontaram para a relação entre a obesidade e a gravidade das infecções por Covid-19.

Em resposta, Skena disse: "Como com qualquer produto indulgente, é melhor apreciar com moderação. Acreditamos que nossos consumidores são inteligentes o suficiente para fazer isso".

A Krispy Kreme doou mais de 30 milhões de rosquinhas em 2020. Skena disse não ter ideia de quantas serão doadas até o final de 2021, mas segundo ele, quanto mais, melhor.

"Não se preocupe conosco", disse ele. "Podemos fazer mais rosquinhas. Quanto mais pudermos doar, mais felizes seremos, porque isso significa que estamos cada vez mais perto do que todos queremos, que é voltar a vida ao normal."

O cliente Steve Hines disse que a guloseima grátis era apenas a cereja do bolo. Ou a rosquinha. "A vacinação é uma recompensa por si só. Essa é a recompensa, permanecer vivo, mas é como um tapinha nas costas, apenas reforça isso", disse ele.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem