Você viu?

Líder de seita de escravas sexuais é condenado a 120 anos de prisão

Keith Raniere era o guru do grupo, que contava com a participação de atriz de 'Smallville'

Keith Raniere
Keith Raniere - Reprodução
São Paulo

Keith Raniere, 60, líder da seita sexual Nxivm (pronuncia-se "Nexium"), foi condenado a 120 anos de prisão nesta terça (27), nos Estados Unidos, pelos crimes de tráfico sexual, extorsão e porte de pornografia infantil.

No início do mês, Clare Bronfman, herdeira do grupo canadense de bebidas Seagram, também foi condenada a seis anos e nove meses de prisão por seu envolvimento com o grupo, cujas seguidoras chegaram a ser marcadas a ferro e eram obrigadas a ter relações sexuais com o líder.

A atriz Allison Mack, que ficou conhecida por interpretar a jornalista Chloe Sullivan na série "Smallville", também foi presa por sua participação na seita sob acusações de tráfico sexual, conspiração para tráfico sexual e conspiração para trabalho escravo. A Nxivm é o tema da série documental da HBO "The Vow", que está programada para apresentar Raniere em sua segunda temporada, em 2021.

Segundo reportagem do site ABC News, no tribunal, Raniere afirmou que é inocente, embora tenha dito "realmente lamentar" que sua organização tenha levado a um lugar em que "há tanta raiva e tanta dor". “Eu acredito que sou inocente das acusações. ... É verdade que não sinto remorso pelos crimes que não acredito ter cometido ", afirmou Raniere.

De acordo com a AFP, a sentença foi dada após cinco horas de audiência. Durante o período, 15 vítimas prestaram depoimento, e o descreveram como "predador", "monstro" e "um mentor sádico e patológico". Uma das declarações que mais chamaram a atenção foi a de uma mulher identificada apenas como Camila, que relatou ter sido forçada a fazer sexo com o guru desde os 15 anos. "Eu era uma menina (...). Ele roubou minha juventude", disse ela, que hoje tem 30 anos. "Ele me manipulou para seu próprio prazer", completou.

O depoimento dela surpreendeu, porque Camila não tinha testemunhado no julgamento de Raniere em junho de 2019, quando ele foi declarado culpado por sete crimes.

A Nxivm operava havia mais de 20 anos. Teve início em 1998 como um programa de autoajuda e, segundo a própria organização, já trabalhou com mais de 16 mil pessoas.

O procurador interino dos EUA, Seth DuCharme, disse que espera que a sentença sirva como um impedimento para qualquer aspirante a líder de seitas."Keith Raniere não será mais capaz de vitimar as pessoas depois da sentença de hoje [terça, 27] e estamos muito gratos por isso", afirmou ele, segundo a ABC News.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem