Você viu?

Mãe narra jogos do Palmeiras para filho cego e viraliza

'Tudo o que vejo e sinto, eu digo inclusive quando tenho que xingar o juiz', diz a mulher

Silvia Grecco e seu filho Nickollas, durante jogo do Palmeiras
Silvia Grecco e seu filho Nickollas, durante jogo do Palmeiras - Reprodução Instagram/pringrecco

São Paulo

Uma brasileira torcedora fanática chamou a atenção de todo o país por fazer o papel de comentarista de jogos de sua equipe para seu filho cego. Silvia Grecco e seu filho, Nickollas, 12, se tornaram figuras marcantes do Palmeiras, depois de a televisão mostrar os dois na arquibancada no ano passado.

"Eu descrevo os detalhes: esse jogador está usando camisa de mangas curtas, a cor da chuteira, do cabelo", diz Silvia, 56, à AFP, durante um jogo do Campeonato Paulista contra o Botafogo de Ribeirão Preto.

A seu lado, Nickollas, que é autista e cego, pulava com alguns amigos em meio a dezenas de milhares de torcedores vestidos de verde. "Meus comentários surgem das minhas emoções. Não sou uma profissional. Tudo o que vejo e sinto eu digo inclusive quando tenho que xingar o juiz!".

Soluções inovadoras foram introduzidas para que os torcedores com necessidades especiais possam ter acesso aos esportes que amam. 

Durante a Copa do Mundo de 2018 na Rússia, um vídeo de um torcedor colombiano "comentando" um jogo contra a Polônia para seu amigo surdo-mudo com linguagem de sinais viralizou na internet.

Um intérprete brasileiro fez algo parecido para um grupo de torcedores surdos em São Paulo.

Um novo ídolo do 'Verdão'

A história de Silvia e Nickollas teve grande repercussão. Foram convidados para vários programas de televisão e até assistiram um treino do Palmeiras. O pai de Nickollas e sua irmã são torcedores de outros times, mas a persistente mãe encontrou a forma de levá-los para a torcida do Palmeiras. Para isso, recorreu a Neymar, o ídolo do menino.

"Neymar colocou o Nickollas sobre seus ombros e ele passou a mão no cabelo do Neymar. Foi um grande momento! Aí eu perguntei ao Neymar  para qual time ele torcia quando era menino e disse que era fanático pelo Palmeiras! Então eu disse: 'Está vendo, Nickollas? Sua mãe, seu jogador preferido... Acho que seu time tinha que ser o Palmeiras!".

Na semana passada, um empresário convidou mãe e filho e alguns amigos do menino para ver uma partida em um camarote no Allianz Park. Um menino com Síndrome de Down, com fones de ouvido e uma camisa da seleção abraçou cada um.

Outro, com autismo, dançou efusivamente com a música de um DJ ao vivo. Mas depois do início do jogo, não teve mais atrações: a atenção foi toda direcionada para o campo e para a narração de Silvia Grecco.

Ninguém se decepcionou. O Palmeiras ganhou por 1 a 0.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem