BBB21

BBB 21: De transfobia a colorismo, confira as polêmicas que já movimentaram o reality

Em duas semanas, programa já tem desistência e pedidos de expulsão

Karol Conka, Nego Di, Lumena e Projota - João Cotta/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O Big Brother Brasil 21 começou com a promessa de ser o maior desde a estreia do reality na Globo, em 2002. O slogan "Big dos Bigs" se referia aos cem dias de duração, o que o torna de fato o mais longo da história da atração, mas a grandeza não para por aí e se estende aos participantes, a discussões e até a rejeições.

O formato repetiu a fórmula de sucesso de 2020, com elenco dividido entre dez famosos e dez anônimos. Apesar de brincadeiras e comparações com A Fazenda (Record), nomes como do ator Fiuk, 30, e dos cantores Projota, 34, e Karol Conká, 34, mostraram potencial. Além de ter um número recorde de negros, com nove ao todo.

A atração não demorou para mostrar qual seria a tônica da edição --pelo menos até agora. A militância se mostra mais presente e ativa no BBB 21, com o dedo apontado na cada de todos, palavras ácidas e um enorme medo de ser cancelado. Não faltam complôs, fofocas e uma pitada de choro.

O programa tem levantado temas importantes, que vão da transfobia à saúde mental, e já teve em seu 14º dia a primeira desistência. Lucas Penteado, 24, deixou a disputa após se assumir bissexual e beijar o colega Gilberto Nogueira, 29. A pressão veio dos concorrentes que encararam o beijo como estratégia de jogo após o ator já ter se desentido com boa parte do elenco da casa no início do reality.

Com o clima tenso dentro e fora da casa, famosos entraram nos debates e nomes que vão de Neymar, 29, a Elza Soares, 90, já condenaram as atitudes dos participantes. Já os perfis dos participantes dão um show a parte, com desculpas pelo comportamento deles, rezas de familiares e trocas de farpas entre si.

Confira as principais polêmicas até agora:

Maquiagem e transfobia - A primeira grande discussão registrada nesta 21ª edição do BBB aconteceu no terceiro dia de programa, quando um grupo de homens, entre eles Caio, Rodolffo e Fiuk, resolveu se maquiar como mulher durante uma ação da Avon, patrocinadora do reality.

O que começou como uma brincadeira, acabou virando uma grande “reunião de condomínio”, como costumam brincar os participantes. Lumena apontou o ato como transfóbico e acusou Caio como o responsável. Ele se desculpou, afirmando não ter tido intenção, enquanto outros participantes se comoveram e até choraram.

Do lado de fora da casa, a polêmica ganhou torcidas e críticas. Se por um lado, representantes da comunidade trans aplaudiram a posição de Lumena, que chegou a lembrar taxas de mortes e suicídios trans no programa, outros condenaram o tom da psicóloga, que foi apontado como exagerado e agressivo.

Romance frustrado - As paqueras se tornaram motivo de muitas discussões e polêmicas dentro do BBB 21. O primeiro casal em potencial que acabou frustrado foi Kerline e Lucas, que se aproximaram na primeira festa. O ator declarou interesse pela modelo, que pareceu corresponder, mas logo os dois se desentenderam.

Kerline afirmou que se sentia incomodada com algumas abordagens do ator e chegou a chorar durante conversa com ele, que se desculpou. A situação, no entanto, se repetiu na festa seguinte e acabou se complicando ainda mais, com uma nova sessão de choro de Kerline e acusações de Lucas, após investida do ator, já embriagado.

Lucas chegou a chamar a sister de dissimulada e associou o “fora” que levou com o nazismo de Adolf Hitler (1889-1945) e com a política de Josef Stalin (1878-1953) na União Soviética. A briga terminou atiçando os ânimos de outros competidores, que saíram em defesa de Kerline, dando origem a novas discussões na casa.

Saúde mental - O desentendimento entre Kerline e Lucas gerou uma série de conflitos no BBB 21. Karol Conká e outros participantes atacaram Lucas com palavras fortes e o isolaram do convívio da casa, o que levantou muitas discussões do lado de fora do programa sobre saúde mental e uma suposta tortura psicológica ao ator.

Um dos momentos mais marcantes e polêmicos foi quando Karol Conká expulsou Lucas da mesa na hora do almoço. “Quero comer na paz do senhor, entendeu? Não quero que você fale enquanto estou comendo. Me respeita”, disparou ela. Lucas, então, saiu e falou que esperaria ela comer para retornar. Ela ainda o remedou e recusou suas desculpas.

A questão da saúde mental voltou a ser levantada após outra polêmica que envolveu a cantora, mas, desta vez, com o modelo e educador físico Arcrebiano, 29, o Bil Araújo. Ela, que trocou beijos com ele, acusou-o de desamparo e citou um possível relacionamento abusivo entre eles, assim como outros participantes.

Internautas e até mesmo o perfil de Fiuk se solidarizaram com Bil, apontando tortura psicológica de Karol Conká contra ele, que afirmou estar infeliz dentro da casa. Tanto o perfil oficial de Bil nas redes sociais quanto sua mãe já declararam que esperam que ele saia do programa, por sua saúde mental.

Assédio - Antes dos desentendimentos, o casal Karol Conká e Bil já tinham protagonizado outra polêmica, pelo menos na visão dos fãs que seguem o programa. As insistentes investidas da cantora, que desde o começo do reality afirmava estar atraída pelo brother, foi interpretada como assédio.

A aproximação de Karol, inicialmente em tom de brincadeira, ganharam outro tom na festa de 3 de fevereiro, com ela apalpando o corpo de Bil e, por diversas vezes, tentando roubar um beijo, mesmo que ele desviasse e pedisse calma. O brother, que já tinha dito a Arthur que ela não fazia seu tipo e não haveria beijo, cedeu.

“Só eu que estou vendo essa situação de uma forma muito séria ou vocês também?”, chegou a questionar a cantora Marília Mendonça, em suas redes sociais na manhã seguinte a festa. Outros internautas se mostraram indignados e a hastag #assédio chegou a ficar entre os assuntos mais comentados no Twitter.

Ciúme x Sororidade - O rápido envolvimento entre Karol Conká e Bil não só começou com polêmica, como terminou com barraco. Isso porque a cantora não gostou do afastamento do brother e apontou a atriz Carla Diaz como um possível pivô da separação, alegando que ela estava sempre “rodeando” o educador físico.

Apesar de a cantora já ter feito insinuações semelhantes, foi após o distanciamento de Bil, que ela confrontou Carla aos berros, chamando-a de falsa. Outros competidores tentaram apaziguar a situação e as mulheres da casa se dividiram entre as duas, questionando o modo como Karol confrontou a colega.

"Fui acordada de uma forma que nunca fui acordada em toda a minha vida, me senti humilhada, desrespeitada, exposta por conta de uma mentira suja que não sei se foi parte do jogo, mas esse não é o meu jogo", afirmou Carla, que disse ter perdoado Karol, mas acrescentou que demorará para voltar a amizade.

Racismo e colorismo - Com número recorde de negros dentro do BBB já seria esperado que questões raciais viessem à tona, o que de fato aconteceu. Inicialmente, a questão foi levantada por Lucas Penteado, que tentou convencer outros participantes negros a votarem nos brancos, o que foi rechaçado por Projota, por exemplo.

A questão racial, no entanto, voltou a ser debatida após a briga de Karol Conká e Carla Diaz. Isso porque a psicóloga Lumena afirmou em um Jogo da Discórdia que as outras mulheres brancas da casa, citando Viih Tube, Sarah Andrade e Thais Braz, teriam demonstrado acolhimento a Carla, que ela destacou como “fenotipicamente branca”, e não a Karol.

As sisters citadas, assim como a própria Carla, se queixaram do apontamento de Lumena, rejeitando qualquer tipo de racismo no apoio que deram à atriz. “Ela fica nesse discurso, que eu acho que é muito importante, mas não cabia na história. Ela passou um pano na cabeça da Karol em tudo que ela fez”, opinou a atriz.

Como sempre, a repercussão se estendeu para fora da casa e novamente com apoio de famosos. Elza Soares, por exemplo, falou sobre “o susto que esse pessoal vai tomar quando sair e assistir sua própria conduta perante os conflitos”. O ator João Vicente, 37, avaliou a postura de Lumena como um desserviço e Deborah Secco, 41, disse que a sister não entende nada.

Ainda na questão racial, uma das discussões mais polêmicas no atual BBB foi o colorismo. O termo, criado na década de 1980, descreve como negros de pele mais clara costumam ter mais oportunidades e sofrer menos discriminação do que aqueles que têm pele mais escura.

A discussão no programa foi levantada por Nego Di, que não reconhece Gilberto como negro. “Ele pode ter alguém, um vô, uma vó [negros]. O racismo só sofre quem é da nossa cor, o policial não te para porque tua mãe é negra. Ele é um pouquinho sujinho. Se esfregar bem…”, afirmou ele, que foi acompanhado por Lumena.

Apesar de o próprio Gilberto não ter presenciado a discussão no reality, sua mãe comentou nas redes sociais: “Ele tem orgulho de sua cor e raça. Nunca esqueceu suas origens. Um rapaz com a cabeça sensata. Pensa com coração e não tem maldade, mas aprendeu a identificar a maldade de perto de alguns participantes do reality”.

Sérgio Camargo, presidente da Fundação Cultural Palmares, comentou através de suas redes sociais e disse que é inegável os benefícios da atual edição do BBB, por mostrar “que há pretos racistas no Brasil”. “E são todos crias do esquerdismo que tenta nos dividir. Finalmente a máscara caiu."

Xenofobia - Outro tipo de preconceito que apareceu no BBB foram os comentários depreciativos de Karol Conká, Lumena, Projota e Fiuk em relação ao sotaque da advogada e maquiadora Juliette Freire, 31, que é da Paraíba. Mesmo quando a sister reclamou de ser zombada, os companheiros não admitiram e Projota chegou a dizer que ela mentia.

Ainda entre os comentários feitos contra Juliette, Karol Conká provocou revolta de internautas ao falar que tem educação por ser de Curitiba e Juliette não teria. “Eu acho estranho, mas essa pessoa falou que não faz por mal”, afirmou a cantora, que foi criticada por personalidades nordestinas, como Whindersson Nunes, 26, Wesley Safadão, 32, e a ex-BBB Flay, 26.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem