A ex-panicat e influenciadora fitness Mari Gonzalez

A ex-panicat e influenciadora fitness Mari Gonzalez Instagram/arigonzalez

São Paulo

O Big Brother Brasil 20 entrou na sua última semana de exibição —o vencedor será conhecido na próxima segunda (27)—, e uma participante vem ganhando destaque nesta reta final do reality: Mari Gonzalez, a baiana de 26 anos que é ex-panicat e influenciadora fitness.

Criticada ao longo do programa por uma suposta omissão diante das polêmicas do jogo, Gonzalez teve uma participação discreta ao menos até a saída de Flayslane, então sua grande aliada, eliminada do BBB no último dia 12.

Com a saída da paraibana, a influenciadora se aproximou mais de Ivy, e o público pode enfim conhecer seu jeito mais brincalhão. Mas a parceria durou pouco, porque Ivy deixou o programa no domingo (19), e quem enfrenta o Paredão desta terça-feira (21) é a própria Mari, contra os superpopulares Babu Santana e Mau Gavassi.

Namorado da influenciadora há quatro anos, o modelo e ex-BBB Jonas Sulzbach, 34, afirma que Mari não foi omissa, mas coerente com o que sempre foi. "Ela recebeu muita críticas por não se posicionar, mas isso, na verdade, é coerência. Ela sempre manteve o mesmo posicionamento e o controle emocional, independentemente da circunstância. Dentro da casa os próprios participantes perceberam isso, viram que ela não está fazendo nenhum tipo. É o jeito dela."

No início do programa, Mari Gonzalez foi alvo de homens da casa que discutiram um plano em que o participante Lucas Galina tentaria seduzi-la —sendo uma mulher comprometida, a ideia era fazer com que ela perdesse popularidade fora do BBB. Revelado aos demais pela participante Marcela, o plano ficou conhecido como "teste de fidelidade".

Mari evitou conflito direto com os brothers, e parte do público entendeu que ela perdeu, ali, uma chance de se posicionar e se destacar no jogo. De acordo com os pais da influenciadora, Sônia e Alfredo Gonzalez, a estratégia conversa bem com o estilo da filha, que eles definem como uma pessoa cautelosa.

"Mariana se parece muito comigo, sempre com um pé atrás, analisando tudo. Foi o que ela fez, ficou fazendo o jogo dela. Ela é muito coração, é inocente e não tem maldade. Mas foi ganhando confiança aos poucos e isso deu uma boa perspectiva de ela chegar até a final, agora que o jogo afunilou”, diz Alfredo, 71.

"A Mari é aquilo mesmo, uma menina tranquila e educada", acrescenta Sônia, 60. A mãe da influenciadora, aliás, diz estar sofrendo muito com o reality. "Não é fácil! A gente chora, e sofre muito. Eu, como mãe, não aconselho a nenhuma outra deixar o filho participar do BBB", brinca.

No Paredão histórico que disputou com Manu e Felipe Prior (o primeiro a alcançar a marca de 1,5 bilhão de votos), até mesmo Tiago Leifert saiu em defesa de Mari para Prior, o eliminado na ocasião. "A Mari é uma menina legal. Você via muita maldade na Mari, que não tem. Ela é uma menina legal", disse o apresentador do BBB.

Se no início do jogo Mari foi vista como omissa, nas últimas semanas ela tentou resolver conflitos da convivência com Manu e Rafa Kalimann, por exemplo, e até virou alvo de piadas na internet por sua insistência em discutir a relação. "Mariana fica doida para fazer as pazes", comenta o pai.

Para Jonas Sulzbach, isso também contribuiu para aumentar a força da namorada nesta reta final. "Muitos estão comentando sobre isso nas redes sociais. Recebo emails de pessoas se desculpando por terem julgado a Mari, que hoje torcem por ela. Ela está tendo uma visibilidade maior, as conversas que ela teve com as pessoas dentro da casa fizeram ela ter uma notoriedade maior, e eles perceberam que era o jeito dela."

Sulzbach aproveitou uma transmissão ao vivo que fazia pela internet com os pais de Mari, na última sexta (17), para pedir a namorada em casamento. "Quero que vocês saibam que a Mariana mudou minha vida para melhor, ela me fez crescer, amadurecer muito", começou Jonas. "Vocês me permitem me casar com ela?", perguntou. A resposta foi positiva. "Você nasceu para conviver com a Mariana", disse Alfredo.

FAMA NO PÂNICO

Depois de cursar cinco períodos de educação física na Universidade Federal da Bahia, Mari Gonzalez decidiu largar o curso, em 2015, para ingressar no extinto programa Pânico, na Band. Lá ela começou como panicat, como eram chamadas as assistentes de palco do humorístico, mas logo foi promovida a repórter da atração, função em que ficou até 2017. Ainda nesse período, ganhou o apelido de Mari Baianinha.

Após deixar a TV, ela passou a focar no universo fitness e se tornou influenciadora digital, principalmente pelo Instagram. Atualmente com mais de 7 milhões de seguidores, Mari Gonzalez incentiva um estilo de vida saudável e dá dicas de treinos e alimentação.

"O esporte e a atividade física sempre fizeram parte da nossa vida, desde que nos conhecemos. A rede social não foi algo que planejamos, apenas aconteceu. É uma ferramenta para a gente expor nosso dia a dia, e o esporte faz parte dela", diz Sulzbach —eles têm juntos aplicativo de exercícios chamado Casal Fit.

Gonzalez também tem um canal (Mari Gonzalez) com mais de 200 mil inscritos no YouTube, em que detalha sua rotina e também expõe seus interesses pessoais.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem