Humorista Marvio Lucio, conhecido como Carioca, que estreia quadro em A Fazenda 12 Fabio Braga - 27.mar.12/Folhapress

Eduardo Ribeiro Márcia Soman
São Paulo

A 12ª edição de A Fazenda promete ser das mais animadas. Depois de uma estreia cheia de novidades na noite desta terça-feira (8), o reality passará a contar com os comentários afiados do humorista Márvio Lucio dos Santos, 44, conhecido como Carioca.

O ex-Pânico (Jovem Pan), que atualmente comanda o quadro Carioca no Domingo, no Domingo Espetacular (Record), será o responsável pelo Sofazenda. Nele, o humorista vai opinar e torcer como fazem os telespectadores em casa e nas redes sociais.

A atração contará com o humorista em um cenário fixo, imitando o sofá de sua casa, de onde vai acompanhar os acontecimento do programa. Em entrevista ao F5, Carioca afirmou que não tem nada planejado, mas que “tudo pode acontecer”.

“A princípio, vou interpretar o próprio Carioca e também a personagem da minha esposa assistindo à Fazenda. Em alguma situação ou em algum determinado momento, podemos criar novos personagens ou imitar alguém. Existe esta possibilidade, por que não?”, afirma.

“Cada dia tem um fato novo, e isso vai nos ajudar a compor o quadro e a montar as brincadeiras. Podemos imitar o Mion ou até mesmo alguns dos peões.”

Segundo o humorista, a proposta do Sofazenda é ser “a voz do público assistindo ao reality e tirando suas conclusões”. Para isso, vai repercutir tanto o que estiver acontecendo dentro de A Fazenda como os tópicos que estão bombando na internet.

A princípio, não estão previstas interações com o apresentador Marcos Mion nem com os peões, e os participantes não sabem da existência do quadro. A atração vai ao ar uma vez por semana, sempre às quintas-feiras, justamente no dia da roça, quando um peão deixa a sede do reality show.

Quando a Record anunciou o Sofazenda, imediatamente surgiram comparações com o CAT BBB, que Rafael Portugal fez no reality da Globo. Mas Carioca garante que não houve inspiração. “Eu não vou conversar com telespectadores e nem ler as mensagens deles. Lá, foi tipo um SAC. Aqui, é tentar imaginar o público assistindo à Fazenda. Esta é a principal diferença”, rebateu.

Recentemente, Carioca protagonizou uma polêmica ao participar, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, de conversa com jornalistas no Planalto. Parlamentares da oposição e até colegas humoristas, como Marcelo Adnet e Gustavo Mendes, criticaram a cena. “Olha, se meus colegas criticam o trabalho de outros colegas, este não é o meu papel”, defendeu-se o humorista.

“Faço humor pelo humor. Não apoio ninguém e nem desaprovo. Fiz aquele esquete porque estou do lado do humor, vi ali uma possibilidade e fui lá e fiz a piada. Agora, se ela é boa ou ruim, quem define é o público, não sou eu e nem um outro humorista. Para mim, a repercussão foi maravilhosa. Eu adorei. E, se tivesse que fazer de novo, faria. E, se fosse contra o presidente, também faria”, assumiu.

Essa edição de A Fazenda acontece em um panorama bem diferente, diante da pandemia do novo coronavírus. Apesar disso, Carioca se prepara para estrear com vibração positiva: “O humor pode ajudar neste momento complicado na sociedade brasileira, aliviando a dor de muitas famílias, ajudando a atenuar toda esta tragédia que está acontecendo com a humanidade."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem