Televisão

Alexandre Nero diz que volta de 'Império' traz misto de alegria e tristeza

Novela de 2014 retorna à Globo como nova reprise na pandemia

José Alfredo (Alexandre Nero ) e Maria Clara ( Andreia Horta ) Alex Carvalho/Globo

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A novela "Império", sucesso da Globo nos anos de 2014 e 2015, retorna à programação nesta segunda-feira (12). Para o elenco, novidade que traz felicidade, mas também tristeza. "A gente queria mesmo é entregar coisa nova", diz Alexandre Nero, 53.

A trama de Aguinaldo Silva é a terceira reprise da faixa das 21h desde que as gravações de novelas foram suspensas pela emissora devido à pandemia da Covid-19. "Amor de Mãe" chegou a ser retomada, mas o agravamento da crise forçou uma nova parada.

"A pandemia é isso, quem está bem é porque está mal-informado. Por isso, a volta de ‘Império’ é um misto de alegria e tristeza. Todos nós queremos entregar coisas novas, mas estamos impedidos pela incompetência de lidar com isso [pandemia]", afirma Nero.

O ator, no entanto, brinca com seu personagem: "Para mim vai ser muito bom me ver na novela, diferente do restante do elenco. Eu rejuvenesci de lá para cá, estou 10 kg mais magro", afirma ele, que usava maquiagem para parecer mais velho na trama.

Com mais de 20 anos de carreira, foi em “Império” que Alexandre Nero fez seu primeiro protagonista, José Alfredo, conhecido como Comendador, que constrói um império a partir do contrabando de diamantes e vive cercado de ambiciosos e interesseiros.

No elenco estão sua esposa e por vezes rival Maria Marta (Lilia Cabral), os três filhos do casal, José Pedro (Caio Blat), Maria Clara (Andreia Horta) e João Lucas (Daniel Rocha), além da primogênita que o Comendador descobre, Cristina (Leandra Leal).

Lilia Cabral, 63, que também estava nas outras duas novelas reprisadas no horário, afirma que a notícia de retorno de “Império” é um alento. “É uma oportunidade de se entreter apenas, sem se preocupar em acertar sua gravação no dia seguinte”, afirma.

“O compromisso é diferente quando a gente está trabalhando. Rever ‘Fina Estampa’ foi assim, tive um prazer imenso de só assistir. E ver como as coisas mudaram para melhor: a questão da mulher, a discussão de gênero... Como faz bem perceber esse melhora.”

A atriz Marina Ruy Barbosa, 25, que deu vida a Maria Ísis, amante do Comendador na trama, diz que a relação do casal pode ser vista de forma diferente pelo público agora. Ela mesma quer rever para saber se sua percepção será a mesma de sete anos atrás.

"Meu interesse pelo empoderamento só cresceu de lá para cá e pode se expressar de muitas formas na vida de uma mulher. Muita coisa vai ser comentada e questionada [com a reprise], mas isso é bom. Estou doida para ver como vou enxergar agora", diz.

Independentemente da percepção que vier, Marina afirma que havia amor entre o casal. "Por mais que a gente veja de forma superficial, como a objetificação da mulher, ela sendo sustentada, não há dúvida de que existia amor, admiração entre os dois."

Uma torcida por mudança já apareceu. O próprio ator Alexandre Nero afirma que tem se deparado com pedidos de pessoas para que o final de seu personagem seja alterado. "Não gostaram dele ter morrido, voltado dos mortos, não sei", diz o ator, em tom de brincadeira.

"Mas é a cara de Aguinaldo [Silva]. Morreu ou não morreu? É um realismo fantástico. Eu adoro final aberto, meio psicológico, você define seu final. A vida não acaba, porque novela tem que acabar? Acho coerente com a genialidade e a maluquice de Aguinaldo." ​

“Império” venceu o Emmy Internacional na categoria melhor novela em 2015. Essa foi a terceira obra de Aguinaldo Silva a levar o prêmio, atrás de “Roque Santeiro” (1985) e “Fina Estampa” (2011), essa última também reprisada pela Globo no ano passado.

TRABALHOS PARADOS

E se tem reprise voltando à televisão é porque deve ter produção nova paralisada por aí. Essa é a realidade de parte do elenco de "Império", que por um lado celebra a oportunidade de rever um trabalho, enquanto também lamenta a interrupção de outro inédito.

Isso acontece, por exemplo, com Marina Ruy Barbosa, que interrompeu os preparativos para a nova série "Rio Connection" (Globo). "Foi um balde de água fria", brinca ela sobre a suspensão dos trabalhos. ‘Império’ vai ser bom para trabalhar com minha ansiedade."

Já Andréia Horta, 37, estava a todo vapor nas gravações de “Um Lugar ao Sol”, que deve ser a próxima produção inédita da Globo na faixa das 21h, apesar de ainda não ter data de estreia definida. E agora vai poder ver uma reprise sua pela primeira vez.

"Levei um susto a princípio, mas depois achei maravilhoso. Fico curiosa em saber como o povo vai receber a novela seis anos depois, porque o Brasil mudou muito", diz Horta, que descarta comparações e influências entre os dois trabalhos: "São histórias muito diferentes".

Outra obra suspensa pela pandemia é a nova temporada de "Aruanas", que tem Leandra Leal, 38, como uma das protagonistas. Para ela, rever "Império" será mais do que revisitar o trabalho, mas também as relações de amizades, de carinho e as pessoas.

"Estávamos à espera da vacina, tinha uma esperança e, de repente, ficou tudo muito pior. Confesso que estou assim: trabalhei à beça na pandemia, inventei milhões de formas de trabalhar para passar essa pandemia de forma criativa", diz Leal.

“É muito desesperador, mas precisamos ter novos futuros e nós temos um papel muito importante nesse ponto. Buscar um futuro sustentável, melhor, a gente tem um papel decisivo nisso tudo. É reinventar um futuro”, afirma.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem