Televisão

Julia Lemmertz recorda infertilidade e troca de óvulos de Esther em 'Fina Estampa'

Atriz também pode ser vista em 'Novo Mundo', reprise das 18h

Esther (Julia Lemmertz) Renato Rocha Miranda/Globo

São Paulo

Julia Lemmertz, 57, está de volta à TV e em dose dupla. A atriz, que fez recentemente “Espelho da Vida” (2018-2019) e acumula mais de 20 novelas em seu currículo, está recordando dois de seus trabalhos com as reprise de “Fina Estampa” (2011-2012) e “Novo Mundo” (2017).

As produções entraram na grade da Globo após a suspensão das gravações de novelas devido à pandemia do novo coronavírus. “Fina Estampa” foi escolhida para substituir “Amor de Mãe” na faixa das 21h, enquanto “Novo Mundo” retornou esta semana para às 18h, ambas por tempo indeterminado.

“Achei uma atitude sensata e séria da Globo ter interrompido as produções de todas as novelas”, afirma a atriz, que deu vida a Esther em “Fina Estampa”. Para ela, uma personagem linda, que busca a inseminação artificial como forma de alcançar seu desejo de ser mãe.

Na trama, no entanto, Esther acaba enganada pela médica Danielle Fraser (Renata Sorrah), que usa o embrião de um outro casal ao insemina-la, o que transforma a realização de seu sonho em uma angústia ainda maior para a personagem, que tem que disputar a guarda da filha com a mãe biológica.

"Tivemos muitas cenas lindas e fortes. A descoberta de que ela foi enganada pela médica acho que foi a mais difícil. Aquele drama todo da ameaça de perder a filha, foi bem difícil”, avalia a atriz, que na trama faz par romântico com Paulo (Dan Stulbach).

Questionada sobre a preparação para fazer Esther, Julia afirma que não sabia muito sobre inseminação artificial, mas mergulhou fundo no assunto, contatando tanto médicos quanto mulheres que passaram pelo procedimento.

“Eu tive dois filhos de método natural, então, para mim, isso nunca foi uma questão. Enfim, o contato com esse desejo imenso e a impossibilidade de realizar foi bem dolorido de ver. E foi interessante observar até onde se pode ir, tanto em termos pessoais como médicos.”

Já nas gravações, a principal recordação da atriz é do bebê que fez sua filha na trama: “Eu me afeiçoei imediatamente à ela, nos demos muito bem. Eu a vi crescer por alguns meses, era muito tocante fazer as cenas com ela. Eu chegava a esquecer de mim para cuidar que ela estivesse bem...".

Apesar de sua personagem viver um drama, Julia Lemmertz avalia que “Fina Estampa”, de Aguinaldo Silva, é uma trama movimentada, com personagens carismáticos, como Griselda (Lília Cabral), e que tem tudo para ser bem recebida novamente pelo público, quase dez anos após a exibição inicial.

Na primeira vez em que foi transmitida, "Fina Estampa" alcançou média de 39,1 pontos na Grande SP (cada ponto do Ibope representava na época 67 mil lares), segundo a coluna Telepadi. Na semana passada, ela alcançou 34 pontos de média, também na Grande SP, igualando índice de “Amor de Mãe”, em sua última semana (cada ponto equivale a 74,9 mil lares).

A única novela que a Globo mantém em sua grade com episódios inéditos é "Malhação - Todas as Formas de Amar", que deve ser encerrada nesta semana. À partir da próxima segunda-feira (6), ela também dará lugar à vencedora do Emmy "Malhação - Viva a Diferença” (2017-2018).

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem