Televisão

Em 'Éramos Seis', Paulo Rocha fala sobre o amor proibido do personagem com Isabel: 'Paixão muito grande'

Ator interpreta o advogado Felício, que se apaixona pela jovem Isabel (Giulia Buscacio)

Felício (Paulo Rocha) e Isabel (Giullia Buscacio) em cena de

Felício (Paulo Rocha) e Isabel (Giullia Buscacio) em cena de "Éramos Seis" Camilla Maia/Globo

Rio de Janeiro

Completamente apaixonados em "Éramos Seis" (Globo), Felício (Paulo Rocha) e Isabel (Giullia Buscacio) têm um desafio duplo para enfrentarem: além da grande diferença de idade, o advogado revela à jovem que é desquitado. 

O ator Paulo Rocha, 42, entrou na novela de Ângela Chaves há três semanas, durante um baile no Clube Inglês, que movimentou diversos núcleos do folhetim. Ele descreve seu personagem como um homem profissional, concentrado e trabalhador, mas também pouco feliz e esperançoso no amor –o que deve mudar radicalmente agora que ele namora a caçula da família Lemos.

"Definir o amor é muito difícil. No caso da Isabel e do Felício existe uma empatia, uma paixão muito grande, e o amor vai acabar se construindo. Há um deslumbramento, um encantamento muito grande entre os dois. Quando isso acontece, é muito difícil dizer não”, afirma Rocha.

Situação semelhante à de Felício e Isabel aconteceu com Clotilde (Simone Spoladore) e Almeida (Ricardo Pereira) na primeira fase da novela, mas o casal continua separado na trama, apesar de ainda serem apaixonados.

"Quando o amor aparece, a gente tem menos opção de escolha. Se a gente pensar na Clotilde e no Almeida, eles reprimiram esse amor e a gente vê o sofrimento que eles passam", diz Rocha, que reconhece que a situação de Felício é complexa, mas ele afirma que, se pudesse dar um conselho a alguém que está apaixonado, diria para a pessoa ir em frente na relação.

"Procure ser o mais feliz possível. E se for pensar a longo prazo, perceba se os objetivos de vida são parecidos, se são objetivos que permitem uma caminhada lado a lado a longo prazo. Para que o processo de sofrimento, no caso de não ser, não seja muito grande. Ou pelo menos seja uma decisão mais consciente."

Filha de Lola (Gloria Pires) e de Júlio (Antonio Calloni), irmã de Carlos (Danilo Mesquita), Alfredo (Nicolas Prattes) e Julinho (André Luiz Frambach), Isabel enfrentará sua família e a sociedade para viver esse grande amor. É o que garante Giullia Buscacio, 23, intérprete da estudante.

"Ela vai se apaixonar e por amor a gente enfrenta tudo, né? Então, eu acredito que ela enfrentará o que for preciso para ficar com o Felício. Ela terá que ser bastante determinada e forte para viver esse romance. Isabel não vai abrir mão do que quer por causa das outras pessoas. Nossa autora é muito cuidadosa e conduz muito bem esses sentimentos dos personagens”, afirma Buscacio.

A atriz diz ainda que a geração de Isabel foi a de jovens que propuseram mudanças necessárias à sociedade, principalmente em relação aos direitos das mulheres de maneira geral. "Em nome desse amor, ela vai romper barreiras e enfrentar preconceitos. Que bom que ela teve essa coragem, e que tantas mulheres tiveram essa mesma força, porque se vivemos um mundo um pouco melhor hoje, tenho certeza de que foi por causa delas.”

Questionada se seria capaz de viver uma situação parecida com a de sua personagem, Buscacio afirma que é impossível mandar no coração. "Estamos falando de amor. Não tem como dizer que eu nunca viveria algo assim. As coisas acontecem, não é? É claro que se pudéssemos escolher, optaríamos por não sofrer. Mas não temos essa garantia na vida. É tudo uma caixinha de surpresas."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem