Televisão

Globo vai reprisar minissérie 'O Auto da Compadecida' em dezembro, afirma atriz

Virginia Cavendish diz que atração, exibida há 20 anos, será apresentada na íntegra

Os atores Matheus Nachtergaele e Selton Mello em cena da minissérie "O Auto da Compadecida"
Os atores Matheus Nachtergaele e Selton Mello em cena da minissérie "O Auto da Compadecida" - Divulgação
São Paulo

A atriz Virginia Cavendish, 48, anunciou que a Globo vai reprisar em dezembro deste ano, pela primeira vez e na íntegra, a minissérie "O Auto da Compadecida". A atração, baseada na peça teatral homônima de Ariano Suassuna (1927-2014), foi exibida há 20 anos, em janeiro de 1999. 

"Qual série vai reprisar inteira em dezembro na @redeglobo pela primeira vez depois de vinte anos? Quem vai assistir? Meu Deus, o tempo voa!!!", escreveu ela em seu perfil no Instagram. A atriz publicou uma foto que, segundo disse, foi feita na gravação da última cena, quando a sua personagem, Dona Rosinha, e Chicó (Selton Mello) e João Grilo (Matheus Nachtergaele) encontram com Jesus disfarçado de mendigo. 

"Dona Rosa divide o bolo que eles levaram da festa", completou Cavendish. 

Até a conclusão deste texto, a Globo não tinha respondido a questionamento do F5 para confirmar a reprise. Também não foram divulgadas informações sobre o horário que a minissérie será exibida. 

Em quatro episódios, "O Auto da Compadecida" conta as aventuras de João Grilo e Chicó, quando no início da década de 1930, eles vão para Taperoá, no sertão da Paraíba. Lá, eles passam a trabalhar e morar com o padeiro Eurico (Diego Vilela). Chicó se torna um dos muitos amantes de Dora (Denise Fraga), a mulher do padeiro.

Rosinha, papel de  Cavendish, é filha de Antônio Morais (Paulo Goulart), um tradicional latifundiário que quer ver a jovem casada com um homem valente e rico. Mas ela se apaixona por Chicó, que não tem dinheiro. João Grilo, porém, vai armar um plano para eles casarem. 

Em 2000, a minissérie foi editada, virou filme e foi para os cinemas, atraindo mais de 2 milhões de espectadores.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem