Televisão

Fabiula Nascimento diz que Nana é 'zero burra' e torce por romance com Mario em 'Bom Sucesso'

Atriz diz que o casal #nanario tem uma grande torcida nas redes sociais

A atriz Fabiula Nascimento interpreta Nana em

A atriz Fabiula Nascimento interpreta Nana em "Bom Sucesso" Victor Pollak/Globo

Cris Veronez
Rio de Janeiro

Se depender da vontade de Fabiula Nascimento, 41, que vive a executiva Nana em “Bom Sucesso” (Globo), a personagem dará um basta no casamento com Diogo (Armando Babaioff) e se entregará a um romance com Mario (Lúcio Mauro Filho), seu amigo de infância. Ao que tudo indica, o desejo da atriz tem boas chances de se concretizar.
 
Nos capítulos mais recentes da trama, Nana descobriu estar grávida. Diogo, que sempre quis ter um vínculo de sangue com a família Prado Monteiro, ficou radiante. A executiva, porém, suspeita que a criança possa ser fruto de uma noite de amor que teve com Mario. 
 
"Espero que Nana e Mario formem mesmo um casal. É bem interessante São duas pessoas que se conhecem há muito tempo. Ele sabe quem ela é de verdade, quais são os valores dessa mulher. É um cara completamente apaixonado e eu acho que o amor é capaz de modificar muita coisa”, afirma a atriz.
 
Nascimento diz que o casal  #nanario tem uma grande torcida nas redes sociais e que a história da executiva e do editor chefe da Prado Monteiro ganhou o público por ser extremamente possível de existir na vida real. "Eu e Lucinho [Lúcio Mauro Filho] somos amigos e trabalhamos juntos há muitos anos. Sempre trocamos muito sobre o que queremos da cena."

"Mário e Nana são duas pessoas de 40 anos que falam um texto condizente com a idade. Na TV, nós estamos acostumados a ver casais mais maduros falando como se fossem adolescentes. A gente dá muito certo por conta disso também", completa.
 
Na trama de Rosane Svartman e Paulo Halm, Nana desacredita de Mário quando ele tenta alertá-la sobre o mau-caratismo de Diogo. A filha de Alberto (Antônio Fagundes) acredita piamente na índole do marido. 
Nascimento diz que não teria por que ser diferente, visto que Diogo mascara os sinais de sua vilania, deixando Nana sem indícios de que ele é um psicopata.
 
"Essa personagem é zero burra. A questão é que ela não tem motivos para desconfiar. É uma pessoa segura no relacionamento. Você não descobre um psicopata facilmente. Um machista você vê quando ele não te deixa usar uma determinada roupa, por exemplo, mas não é o caso”, afirma Nascimento.

 

"Diogo é manipulador e perigoso, mas dentro da família dela, a única pessoa que acolhe e que está o tempo inteiro à disposição, o tempo inteiro dizendo que a ama, é esse homem. Então não existe a menor desconfiança de que ele seja assim", completa.

A gestação da executiva promete não somente reconfigurar seus relacionamentos amorosos, mas também a maneira com que exerce a maternidade. "Nana não é uma boa mãe para a Sofia (Valentina Vieira), porque está repetindo valores e padrões que aprendeu dentro de casa. Ninguém pode dar aquilo que não recebe, né? (...)."

 

"A personagem é bastante humana. Como todos nós, ela erra e acerta o tempo inteiro, e está sempre em busca de melhorar, acredito eu. É uma personagem muito movida pelo afeto. Embora seja durona e sisuda, é também muito emotiva", diz a atriz.

SEM ARREPENDIMENTOS

Paralelamente a "Bom Sucesso", Fabiula Nascimento está no ar em outros duas produções da Globo: a reprise da novela “Avenida Brasil”, no Vale a Pena Ver de Novo, e na quarta temporada da série “Sessão de Terapia”, disponível no Globoplay. 
 
O folhetim de João Emanuel Carneiro, exibido originalmente em 2012, foi a estreia de Nascimento na TV, como a personagem Olenka. "Estar nessa novela foi uma experiência maravilhosa. Nessa hora, você se dá conta do tempo... Se a novela já está passando no ‘Vale a Pena Ver de Novo’, é porque você já está há muito tempo trabalhando na TV [risos]."
 
Numa reflexão nada modesta sobre seus erros e acertos ao longo de 23 anos como atriz, Nascimento diz que não cometeu erro algum na carreira. "Falando sério, todos os meus erros são acertos. Estou com 41 anos e acho que quando você passa mais de metade da sua vida desempenhando uma profissão não tem mais como dar errado (...) Acho que, em primeiro lugar, você precisa ter muito respeito, empatia, afeto pelo que faz e pelas pessoas que estão com você."

A atriz também é uma estrelas do filme "Morto Não Fala", de Dennison Ramalho, que tem como protagonista Daniel de Oliveira. O filme estreou em outubro passado e conta a história de Stênio (Daniel de Oliveira), um funcionário do IML (Instituto Médico Legal) da zona leste de São Paulo que tem a habilidade de conversar com seus clientes além-túmulo. A maior parte deles é vítima de crimes violentos.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem