Televisão

Dança dos Famosos: Time masculino aponta ansiedade e cansaço na estreia da competição

Bruno Montaleone, Luis Lobianco, Kaysar e outros entram em cena

Bruno Montaleone, Júnior Cigano, Matheus Abreu, Jonathan Azevedo, Luis Lobianco e Kaysar Dadour estão no Dança dos Famosos - Fábio Rocha
Leonardo Volpato
São Paulo

O time masculino estreia neste domingo (1º) no Domingão do Faustão (Globo) para encarar passos ousados no Dança dos Famosos com o ritmo Baladão. Estão na disputa os atores Bruno Montaleone, 23, Matheus Abreu, 22, Jonathan Azevedo, 33, Luis Lobianco, 37, e Kaysar Dadour, 30, além do lutador Júnior Cigano, 35.

Assim como as mulheres, que encararam a disputa no domingo passado (23) no ritmo Baladão, os rapazes querem se divertir e aprender com as suas professoras.

Para Matheus Abreu, o negócio é ir evoluindo aos poucos. “Eu acho que não entro nem para ganhar nem para competir. O que mais me chamou atenção nesse quadro foi a possibilidade e a oportunidade de me desafiar, de me colocar em frente ao espelho. Dançar exige um desprendimento de tudo, das articulações para atingir esse molejo, da autocritica”, analisa.

Abreu se diz empolgado para mostrar a que veio, mesmo quase nunca tendo tido contato com esse universo. “Aceitei com um pouquinho de medo”, brinca.

“Tenho na memória de quando eu era mais novo, aos domingos, minha mãe fazendo almoço e, depois de comer, ela colocava umas músicas e me chamava para dançar junto”, rememora o ator, que também lembra que ele teve de dançar ao fazer um teste para um filme mais recentemente.

O ator Luis Lobianco estava fora do Brasil quando recebeu o convite para participar. O chamado veio do próprio Faustão e ele ficou instigado a aceitar. Nessa última semana, de uma forma mais intensa, Lobianco veio se dedicando aos ensaios.

“Até então o difícil era esperar para começar. A gente fica ansioso e isso traz a sensação de que você está desprotegido. Quero saber tudo logo para entender com que tipo de dificuldade vou lidar e o que tenho mais facilidade”, aponta.

“A dança me coloca em outro lugar que humildemente tenho de aprender tudo. Fico aberto para absorver tudo o que é conhecimento novo. Ser aluno é maravilhoso”, completa o ator. Para ele, o mais difícil será controlar a ansiedade. ”Os ritmos que gosto são o Baladão, anos 1970 e 1980, mas acho que me darei bem em lambada e salsa”, diverte-se.

O ator sírio Kaysar diz estar nervoso, mas confiante na nova empreitada que está por vir. Para ele, que diz ter topado na hora o convite, vai ser um desafio completo, já que em seu país a dança é bem diferente da praticada em solo brasileiro.

“Na Síria homens dançam com homens, a gente pula segurando as mãos e começa a dançar. Então estou mais acostumado a me mexer sozinho”, diz.

Até agora ele conta que tem se esforçado ao máximo. “Estou achando muito legal, não imaginei que seria tão cansativo, suei bastante. Mas a professora tem paciência comigo”, fala.

Feliz com a fase que vive e com as oportunidades na Globo, Kaysar quer agarrar mais essa chance. “Aparecer no Faustão é sempre importante, estou numa fase incrível, experiência maravilhosa e aprendizado”, comenta o ator que vive Fauze em “Órfãos da Terra” e que foi vice-campeão do BBB no ano de 2018. 

‘EU ENTRO PARA GANHAR’

Definitivamente, entre os homens e as mulheres, o lutador Júnior Cigano é quem tem a profissão mais diferente desse universo. Porém, ele é o que parece mais confiante de levar para casa o troféu do Dança dos Famosos.

“Tudo aquilo que me proponho a fazer na vida, eu entro para ganhar. Mesmo que eu não saia vitorioso, é essa atitude que me faz realmente aprender e crescer como pessoa e profissional. Todos os meus parceiros de competição são artistas talentosos de muito sucesso, vou ter muito trabalho”, afirma o lutador de MMA, que também aponta dentre ‘os mais descolados e talvez habilidosos’ os amigos Jonathan e o Kaysar.

E engana-se quem pensa que ele não leva muito jeito para a dança. Melhor: ele traça um paralelo entre a dança e a luta. “Difícil especificar, mas a luta não deixa de ser uma dança, uma dança mais agressiva, claro, mas uma dança. É preciso entrar no ritmo para fazer as combinações funcionarem, portanto, pretendo usar muito de meu arsenal de lutador para fazer acontecer”, explica.

Companheiros de tatame deram apoio a Cigano. Ele é o segundo lutador a aceitar o convite: o primeiro foi Rodrigo Minotauro, em 2012. “Conversei, sim, com meus parceiros de treino sobre essa oportunidade e todos ficaram empolgados com a ideia. Mas poucos, muito poucos arriscaram dar algum conselho ou mesmo palpite sobre o que eu deveria fazer. Estou em euforia”, diz.

“De qualquer forma, pretendo seguir o conselho que o Leo Jaime nos deu e me divertir”, conclui o lutador, sobre o papo com o cantor que foi campeão de 2018 do Dança dos Famosos.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem