Televisão

'Por Amor' tem classificação indicativa elevada por cenas de sexo, violência e drogas lícitas

Novela passa a não ser indicada para menores de 12 anos

Regina e Gabriela Duarte na novela 'Por Amor'
Regina e Gabriela Duarte na novela 'Por Amor' - Divulgação
São Paulo

O Ministério da Justiça reclassificou a novela "Por Amor", de 1997, e reprisada atualmente nas tardes da Globo, como não recomendada para menores de 12 anos. Até então, a trama escrita por Manoel Carlos era classificada como livre. 

No despacho, publicado na terça (16) no "Diário Oficial" da União, o Ministério da Justiça justifica a mudança afirmando que a novela exibe cenas com "drogas lícitas, conteúdo sexual e violência". A Globo tem o prazo de cinco dias para implementar a revisão, exibindo a nova classificação em todos os capítulos. 

Em 1997, quando foi ao ar pela primeira vez, na faixa das 21h, "Por Amor" tinha classificação livre.

Mesmo antes da determinação, a emissora já tinha promovido cortes de cenas mais fortes da trama, o que chegou a gerar reclamações dos telespectadores nas redes sociais. No início de junho, por exemplo, Branca (Susana Vieira) e Milena (Carolina Ferraz), que são mãe e filha na trama, têm uma briga feia, e a megera dá um tapa na cara da filha. Na verdade, na cena original, Branca dá cinco bofetadas em Milena, o que não foi exibido desta vez. 

Para justificar os cortes, o departamento de comunicação da Globo disse que todos os conteúdos da emissora, quando produzidos originalmente para outros horários, "podem passar por ajustes e adequações ao serem reexibidos". "Sempre com o cuidado de não comprometer a essência da obra e das tramas abordadas", informou a emissora em nota. 

A novela de Manoel Carlos, considerada até hoje um dos maiores sucessos da Globo, gira em torno da pergunta: o que você é capaz de fazer por amor? Na história, Helena (Regina Duarte) e sua filha, Eduarda (Gabriela Duarte) ficam grávidas juntas e vão dar à luz na mesma noite. 

Mas uma tragédia acontece na maternidade. Eduarda tem uma complicação durante o parto, e os médicos são obrigados a retirar o útero da jovem. Para piorar o cenário, durante a noite, o filho dela morre de forma súbita.

Em meio a raios e trovões, Helena, transtornada com a catástrofe da filha, decide pelo impensável. Com a ajuda do médico César (Marcelo Serrado), ela faz a troca dos bebês. No dia seguinte, Helena diz a todos que o seu filho não resistiu, e Eduarda passa a cuidar do irmão como filho sem saber.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias