Televisão

Datena chora ao falar de morte de Boechat: 'Até os inimigos o respeitavam'; veja repercussão

Sandra Annenberg e Dony De Nuccio se emocionam com morte

Ricardo Boechat, Jornal da Band (Band) - Divulgação/Band
São Paulo

O apresentador José Luiz Datena interrompeu o programa Os Donos da Bola, na programação da Band, na tarde desta segunda-feira (11), para informar a morte do amigo e companheiro de casa Ricardo Boechat, 66. 

"Até os inimigos respeitavam Boechat. Porque era muito difícil contestá-lo. De uma maneira ou de outra, ele tinha uma virtude. Era verdadeiro 24 horas por dia", disse Datena, visivelmente emocionado. ​"Tinha esse dom de voltar atrás."

"O Boechat, como todo o jornalista, tinha uma vida muito corrida", diz. "Fazia palestras pelo Brasil inteiro, era muito requisitado. [...] Eram poucas horas de descanso e muitas de trabalho."

"Suas colocações machucaram muita gente, que aliás, merecem ser machucas", continua. "Sempre foi um jornalista super independente e brigou contra todo o tipo de injustiça. Pessoas assim são amadas pelo mundo e odiadas por algumas autoridades."

Datena também lembrou histórias do amigo e da carreira profissional de Boechat, a quem ele se refere como "o maior âncora da televisão brasileira".

"O jornalista, amigo, pai de família, companheiro, que na última quarta, que eu vim aqui apresentar o jornal, me deu um beijo no rosto, fingido que ia cochichar alguma coisa, e, no fim, brincalhão como ele era, falou: 'É, bocão, eu só queria te dar um beijo'."

Boechat é vencedor de três prêmios Esso (1989, 1992 e 2001). É também o maior ganhador do Prêmio Comunique-se.

A morte do jornalista também emocionou os apresentadores da bancada do Jornal Hoje (Globo), Dony De Nuccio e Sandra Annenberg. Os dois jornalistas ficaram com os olhos embargados ao anunciar a reportagem. 

 Pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro lamentou a morte de Boechat e disse ser solidário à família do jornalista e do piloto que estava a bordo, Ronaldo Quattrucci, 56.​ "É com pesar que recebo a triste notícia do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, que estava no helicóptero que caiu hoje em SP. Minha solidariedade à família do profissional e colega que sempre tive muito respeito, bem como do piloto. Que Deus console a todos!"

Alguns colegas de trabalho e celebridades também comentaram o ocorrido nas redes, como Marcelo Adnet, Amaury Junior, Astrid  Fontinelli, Celso Portiolli, Valcir Carrasco.

Otaviano Costa homenageou o jornalista um vídeo no Instagram: "É muito triste essa notícia, não só pela figura ímpar que era a do Ricardo, mas pelo jornalismo que ele praticava, a voz ferrenha, competente, concordando você ou não com a opinião dele, contra as coisas erradas no pais. E nestes últimos meses, tantas coisas erradas que ele vinha combatendo", diz.

"Que seja uma inspiração por sua história e legado", continua. "Todo meu sentimento e amor. Que início de ano...fique com Deus caríssimo Boechat."

O apresentador do Jornal Nacional Willian Bonner publicou um vídeo no Instagram em que diz: "Boechat foi um colecionador de prêmios e de amigos. Acho que esse é um resumo muito pertinente do que ele representou para todos nós jornalistas", disse ao afirmar que sente uma tristeza avassaladora e que o colega fará muita falta, "especialmente neste momento tão complicado para o jornalismo profissional".

"Conheci Boechat quando ele trabalhou no Bom Dia Brasil, no fim da década de 90. Eu participava de São Paulo e ele interagia com o Renato Machado, no RJ. Cheguei a apresentar o jornal com ele no estúdio. Sempre admirei seu trabalho. Sentiremos sua falta", escreveu Chico Pinheiro em sua conta no Twitter. 

O jornalista trabalhava atualmente no Grupo Bandeirantes de Comunicação, apresentando dois programas diários, A Notícia com Ricardo Boechat, um matinal na rádio BandNews FM, e o Jornal da Band à noite, na TV Bandeirantes. Ele tinha também uma coluna na revista semanal Istoé. 

Ricardo Boechat, jornalista, morre aos 66 anos em queda de helicóptero em SP. - Danilo Verpa

ACIDENTE DE HELICÓPTERO

O jornalista Ricardo Boechat, 66, morreu após a queda de um helicóptero em São Paulo nesta segunda-feira (11). A informação foi confirmada pela Folha.

Mais cedo, o Corpo de Bombeiros informou que duas pessoas tinham morrido após um helicóptero cair sobre um caminhão em trecho do Rodoanel que dá acesso à rodovia Anhanguera, na zona oeste de São Paulo. Eles seriam o piloto e o copiloto da aeronave, segundo as informações preliminares da corporação.

A confirmação de que o jornalista era um dos ocupantes veio mais tarde.

O corpo de Boechat foi velado durante esta terça-feira (12) no MIS (Museu da Imagem e do Som), na zona sul da capital paulista. Entre políticos, jornalistas, artistas e fãs, centenas de pessoas passaram pelo local desde a chegada do caixão, às 23h20 de segunda, sob uma salva de palmas dos presentes. 

O corpo do jornalista será cremado em uma cerimônia privada restrita à família, às 16h desta terça-feira, no Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.

 
 
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias