Televisão

MasterChef: Rafael vence 3ª temporada do reality culinário voltado para chefs profissionais

Vencedor leva R$ 200 mil, cozinha equipada e R$ 1.000 em compras

Rafael Gomes e Willian Peters disputaram a final do MasterChef Profissionais
Rafael Gomes e Willian Peters disputaram a final do MasterChef Profissionais - Carlos Reinis/Band
Beatriz Vilanova
São Paulo

O fluminense Rafael Gomes venceu, na noite desta terça-feira (11), a terceira temporada do MasterChef Profissionais (Band). Ele, que superou Willian Peters na final, levará o prêmio de R$ 200 mil, além de uma cozinha equipada pela Tramontina e R$ 1.000 em compras durante um ano. 

Antes da final, Gomes, que é dono de restaurante em Paris, na França, afirmou que busca fincar raízes em terras brasileiras. “Quero abrir meu segundo restaurante na cidade francesa e, se Deus quiser, conseguir alguma parceria aqui no Brasil. E poder crescer nesse país que é tão lindo, com uma gastronomia tão única”, afirmou.

“Ganhar o MasterChef Profissionais é uma conquista muito importante, tantos competidores muito experientes também e que cozinham muito bem. Eu acho que acabar como o número 1 é uma vitória pessoal”, já havia dito o chef, que trabalha fora do Brasil desde os 19 anos. 

Nessa etapa final, Gomes teve que fazer um menu degustação completo para impressionar o trio de jurados —Paola Carosella, Erick Jacquin e Henrique Fogaça. Foram duas entradas, dois pratos principais e duas sobremesas, e assim acabou superando o concorrente Willian Peters. 

AUDIÊNCIA

Essa terceira edição do MasterChef Profissionais registrou a menor média de ibope da história do programa, com 4 pontos —as duas anteriores tiveram 6,8 e 4,9 pontos, respectivamente. Até mesmo as edições amadoras tiveram maior ibope, com números superiores aos 4,8 pontos. 

O formato, no entanto, segue sendo rentável para a emissora e os jurados continuam felizes da vida com o sucesso do programa. “Não tenho medo de desgastar [o formato] porque o programa se renova a cada edição. Cada temporada tem histórias de vida, experiências e provas diferentes”, afirma Jacquin. 

Para Fogaça, o MasterChef significa um salto na carreira. “É uma responsabilidade nacional e internacional, mostrar a gastronomia brasileira. Damos uma disseminada nessa profissão que é tão bonita. Quanto ao desgaste, não sei, parece que cada vez ele cativa mais gente. Tudo tem inicio, meio e fim, mas o Master está com vida boa ainda.”

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias