Televisão

No ar em 'Espelho da Vida', Julia Lemmertz diz sentir que já encontrou o neto em vidas passadas

Julia diz se considerar 'um pouco católica' e meditar há 30 anos

Julia Lemmertz interpreta duas personagens em "Espelho da Vida"
Julia Lemmertz interpreta duas personagens em "Espelho da Vida" - Sergio Zalis/Globo
Karina Matias
São Paulo

No ar em "Espelho da Vida", novela espírita da faixa das seis da Globo, a atriz Julia Lemmert, 55, revela que, embora não siga o espiritismo, gosta de acreditar que existem, sim, outras vidas ou outras dimensões após a morte. Na trama, ela faz dois papéis: é Piedade na década de 1930, espírito que volta como Ana nos dias atuais. 

"Eu penso que, talvez, seja muito pouco provável que uma vida só dê conta de tudo que a gente tem para viver. Tem tanta coisa que a gente lê, pesquisa e que dão pistas de que isso aqui realmente é só uma passagem", afirma.

Julia tem um motivo ainda mais especial para acreditar nisso: a sua relação com o seu neto, Martin, de um um ano. "Eu tenho um amor tão profundo por ele que eu falo: 'Gente, esse menino eu já encontrei, isso aqui é um reencontro. É uma coisa tão louca, tão profunda. Eu entendo ele, e sei que ele me entende. Não é só amor de avó com neto, é uma ligação", relata, emocionada.

Apesar de achar lindo o tema sobre vidas passadas, ela admite que não pensa muito sobre o assunto e que prefere focar suas ações e atitudes no presente. "De onde vem essa nossa ligação [da atriz com o neto), isso não faz muita diferença. O que faz a diferença é o relacionamento que a gente tem agora. Eu vê-lo crescer, estar ao lado dele, tentar fazer um mundo melhor para ele. O que a gente tem é o presente", diz

Criada em uma família católica, Julia conta que se considera "um pouco católica", mas que faz meditação há mais de 30 anos e se identifica muito também com o budismo. "Eu acho que Deus é natureza, Deus está em todas as coisas e está dentro da gente também. O exercício da religião e da fé é diário. É o contato mais profundo que a gente tem com tudo: com o cosmos, com a natureza, com os animais, com outros seres humanos."

Na novela, a atriz enfrenta o desafio de fazer duas personagens que são muito semelhantes, mas não exatamente iguais. Nos dias atuais, ela é Ana, separada do problemático Américo (Felipe Camargo), mas já feliz em seu segundo casamento com Flávio (Ângelo Antônio).

Já Piedade, a sua vida passada, é uma mulher sofrida e reprimida pelo marido Eugênio (Felipe Camargo). Em comum, as duas têm uma relação muito próxima com a filha Cris/Júlia (Vitória Strada), protagonista da trama.

"O grande barato é você ter a oportunidade de fazer dois papéis distintos e, de alguma forma conectados um com outro. É divertido, porque você realmente tem que mudar a chave. Uma personagem tem uma característica, fala de um jeito, se comporta de um jeito, e a outra é de uma outra época, tem uma outra forma de falar, uma outra vida, com outra história, outras questões", diz.

Na visão de Julia, enquanto Piedade tem uma história triste e forte, Ana já é mais solar e conseguiu superar dificuldades ao longo da sua trajetória. "Claro, ela também sofreu coisas, como um casamento desfeito, mas já está em um momento em que a vida ficou boa", resume. 

A atriz não antecipa o que vai acontecer na novela, mas garante que muitas surpresas ainda estão por vir. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias