Televisão

Com ela, eu me liberto e falo os maiores absurdos, diz Giovanna Lancellotti sobre patricinha Rochelle

Atriz se diverte com personagem mau-caráter de 'Segundo Sol'

Rochelle (Giovanna Lancellotti) em cena de "Segundo Sol"
Rochelle (Giovanna Lancellotti) em cena de "Segundo Sol" - Divulgação
Cris Veronez
Rio de Janeiro

A patricinha Rochelle, interpretada pela atriz Giovanna Lancellotti, é pura maldade. Entre as suas vilanias, ela armou a prisão do avô, Severo (Odilon Wagner). Nesta quarta (26), não terá nenhum pudor em contar à mãe, Karen (Maria Luisa Mendonça), que o pai, Edgar (Caco Ciocler) a trai com Cacau (Fabíula Nascimento).

Giovanna tem se divertido com a repercussão da personagem. “É uma repercussão negativa que, no fundo, é positiva. A Rochelle é recorde de memes [mensagens divertidas na internet] e eu amo isso.”

Outras grandes vilãs de “Segundo Sol”, como Laureta (Adriana Esteves) e Karola (Deborah Secco), demonstram até cultivar um pouco de amor, enquanto a cafetina é apaixonada por Ícaro (Chay Suede), a mulher de Beto Falcão (Emilio Dantas) não mede esforços para ficar ao lado do marido e do filho, Valentim (Danilo Mesquita). Mas Rochelle, até agora parece não gostar de ninguém, segundo Lancellotti. “No fundo, acho que ela gosta de todos, até da Manuela [Luisa Arraes], e que age dessa forma como uma defesa.

Prefere apontar o defeito do outro antes de ser apontada, assim, ela tira a atenção de cima dela”, palpita a atriz, que faz uma reflexão para tentar justificar o comportamento atual de sua personagem.

“A Manuela é adotada e teve a questão de ter sido separada do irmão, e a mãe, presa. Isso a tornou uma menina mais frágil, então, a atenção da família acabou indo mais para ela e não para a Rochelle. Creio que daí surge um ciúme por achar que a família gosta mais da Manuela, quando na verdade todos estavam tentando tapar um buraco naquela menina que chegou a uma família que não era a dela”, diz.

A forma insensível como a personagem enxerga a vida faz com que a atriz encare o trabalho de maneira ainda mais divertida. Com ela, eu me liberto e falo os maiores absurdos como se fossem uma coisa muito tranquila. Rochelle não possui sensibilidade nenhuma nem papas na língua. Não tem filtros e, com isso, a gente se diverte”, finaliza.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias