Televisão

Fátima Bernardes diz que participação da plateia é o diferencial do Encontro

Apresentadora acredita que perfil do programa se lapidou com tempo

A apresentadora Fátima Bernardes no set do programa Encontro com Fátima Bernardes
A apresentadora Fátima Bernardes no set do programa Encontro com Fátima Bernardes - Folhapress
São Paulo

Comandado por Fátima Bernardes, 55, o Encontro, completou nesta segunda (25) seis anos. Desde o surgimento em 2012 a atração matinal da Globo recebeu mais de 750 artistas diferentes para compor as rodas de conversas que misturam anônimos, especialistas e celebridades. 

O programa desta segunda, encurtado pela programação especial da Copa do Mundo, recebeu Ana Furtado como convidada especial, o ator Ícaro Silva, o músico João Bosco e o médico Jairo Bouer. A apresentadora, que costumava cobrir Fátima Bernardes em suas férias, foi diagnosticada com câncer de mama e recebeu uma homenagem ao vivo. 

Bernardes acredita que o programa tenha evoluído muito neste período de tempo. Segundo ela, a ideia inicial foi sendo lapidada e acrescida de outras atrações, como os convidados musicais e sua própria participação, agora de maneira mais ativa e natural. 

"A gente conseguiu um perfil de assuntos para o programa que é sempre estar ligado a questão do respeito ao outro, aos direitos humanos, e temas que realmente nos façam refletir sobre como podemos tornar o mundo melhor."

Para ela, os pontos mais importantes da atração foram se firmando em dois pilares: a escolha de um bom tema e a participação da plateia. "É claro que os convidados são importantíssimos, mas, sem a plateia, nós não conseguiríamos fazer o que desejamos, que é este Encontro."

O tratamento jornalístico de alguns temas, ela diz, vem de sua própria formação, que está alinhada com a da equipe. Antes de assumir o comando do Encontro, Fátima era âncora do Jornal Nacional (Globo), função que exerceu por 13 anos. 

Mas para ela o mais importante é a união da seriedade jornalística com o tom do entretenimento. "Não é só um programa de informação, é também um programa de diversão e a gente tem que aproveitar isso. Com essa união, os temas são tratados de uma maneira tranquila e respeitosa, e, por isso, a gente consegue falar sobre qualquer coisa."

Bernardes também acredita que o bom convívio com a equipe está relacionado ao fato de todos participarem ativamente da produção do programa. Para ela, esse bom entrosamento reflete na qualidade do programa final. "É uma equipe especial e acho que isso transparece para o público."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias