Televisão

Cauã Reymond diz que 'Ilha de Ferro' apresenta uma nova mulher para o mundo: 'Amadureci muito'

'Vai fazer piada com Maria Casadevall para você ver', diz ator

Ensaio do ator Cauã Reymond para a capa da revista GQ
Ensaio do ator Cauã Reymond para a capa da revista GQ - Divulgação GQ
Cris Veronez
Rio de Janeiro

Protagonizar a série “Ilha de Ferro”, sem data de estreia na programação da Globo, ao lado das atrizes Sophie Charlotte, 29, e Maria Casadevall, 30, foi um grande aprendizado para Cauã Reymond, 38. O ator diz que seu personagem, Dante, um coordenador de produção em uma plataforma de petróleo, o ajudou a compreender ainda mais o universo do feminismo.  

“Dante é um cara que tem uma vida extremamente difícil. Vou adiantar um pouco da história aqui, mas o primeiro capítulo já mostra tudo: ele é um cara que está almejando um cargo que é ocupado por uma mulher", diz. Para o galã, as personagens Leona (Sophie Charlotte) e Júlia Bravo (Maria Casadevall) discutem, na atração, a questão do empoderamento feminino. 

“Elas apresentam essa nova mulher para o mundo. E a trama vai mostrando como esse cara machista que é o Dante lida com isso, como ele se introduz nesse universo novo e muda ao longo da história. A gente está aqui para amadurecer, né? E eu também amadureci muito com o Dante", diz o ator.

Pai de Sophia, 6, fruto do relacionamento com a ex-mulher Grazi Massafera, Reymond afirma que fica feliz ao ver que o mundo mudou para as mulheres. "Tenho trabalhado com atrizes que batalham muito pelo feminismo. Isso, mais a vivência do meu personagem, abriu uma janela para mim. Comecei a observar algumas coisas de que eu não tinha noção. Não sou um cara que assobia para uma menina na rua. Nem quando eu era jovem eu fazia isso, e naquele tempo até era mais aceitável eu fazia. Mas comecei a ver várias questões e diálogos, enxergar pontos de vista diferentes."

 

O ator completa, ainda, ao dizer que sua conduta como homem antes de começar a trabalhar na série não era necessariamente errada, mas que a forma como observava as situações talvez possa ser considerada antiquada. "Vai fazer uma piada com a Maria Casadevall para ver que chamada que você vai levar! Você nem filma mais nesse dia", ri Cauã Reymond. 

"Depois de um tempo, eu já brincava com ela fazendo uns comentários como Dante. Mas só de brincadeira mesmo. Essas piadinhas não têm mais espaço hoje em dia", diz o ator. Recentemente,  Casadevall chamou publicamente a atenção do ator Caio Blat em uma postagem na internet, que ela considerou machista. 

As discussões sobre o feminismo também fizeram com que Reymond refletisse sobre alguns direitos dos homens. E ele levantou a bandeira de uma mudança na licença-paternidade, que é de apenas cinco dias corridos, segundo a lei.  A mãe pode ficar em casa com o bebê por 120 dias.

"Quem sou eu para questionar coisas? Mas começo a pensar por que eu não posso ter licença-paternidade um pouco mais prolongada, se a minha mulher está em casa também. Não vou ter que dar de mamar, mas vou acordar à noite. Sofia nasceu enquanto faz 'Avenida Brasil', e gravei no dia seguinte. Estava no meio do furacão, porque a novela estava cheia de viradas", diz, ressaltando que é a favor da igualdade salarial entre homens e mulheres.

“Poxa, quero ser pai de novo daqui a pouco e gostaria de ficar em casa mais tempo. E a mulher precisa do homem também. É uma questão de ambiente familiar. Não estou falando isso porque quero ficar de pernas para o ar. É para estar presente.”

 

Cauã Reymond não costuma usar suas redes sociais para se manifestar sobre reportagens que citam o seu nome. No entanto, se diz incomodado com um texto publicado no final do ano passado, o que o fez mudar de postura; A notícia dizia que ele hava teste para protagonizar “Segundo Sol”, atual trama das 21h da Globo, mas não teria passado por não saber rebolar -o que seria essencial para viver o cantor de axé Beto Falcão.

“Poucas vezes eu fico chateado, e eu fiquei, porque se trata do meu ofício. Quando inventam algo sobre a vida pessoal, às vezes fico chateado, às vezes lido bem. Já são muitos anos de carreira, estou acostumado. Mas desta vez tinha a ver com o meu trabalho. Estou aqui por mérito, não fui apadrinhado. Continuo trabalhando muito para crescer.”

Para celebrar o fim das gravações de “Ilha de Ferro”, o galã publicou um vídeo no Instagram em que sambando ao lado de Jonathan Azevedo, 32, seu colega de elenco. “Vou fazer mais vídeos assim. Quem sabe meus seguidores aumentam”, afirma, rindo.

OUTRAS FACETAS

Além de ator, Cauã Reymond é também produtor e tem interesse na área criativa. Diz que gosta de ser participativo em seus trabalhos e não dá pitacos no set, sempre respeitando os limites de sua posição em cada trabalho. 

“Fora da casa [Globo] eu tenho uns seis títulos no cinema, em que eu sou produtor e coprodutor. No set [atuando], eu não dou pitaco. Sou ator e gosto de ser ator. E se me dão oportunidade de participar de uma forma criativa, eu participo. [...] Mas é claro que a palavra final é sempre da alta direção e do Poyart, que é meu diretor, e eu batalhei muito para trabalhar com ele. Construímos uma parceria pessoal e profissional muito bacana."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias