Televisão

'Já cheguei a pedir para fazer a gostosa e me olharam meio torto', diz Fernanda Rodrigues

Atuando há quase 30 anos, atriz faz sua primeira vilã em 'O Outro Lado do Paraíso' 

Fernanda Rodrigues em cena como Fabiana de "O Outro Lado do Paraíso" (Globo)
Fernanda Rodrigues em cena como Fabiana de "O Outro Lado do Paraíso" (Globo) - Divulgação/Globo

Cris Veronez
Rio de Janeiro

Em quase três décadas de carreira como atriz, Fernanda Rodrigues, 38, nunca havia feito uma vilã de destaque em uma novela. Quem lhe ofereceu a chance foi o autor Walcyr Carrasco, com a asquerosa Fabiana, de "O Outro Lado do Paraíso" (Globo).

"Eu acho que a personagem veio no momento certo. Atriz eu sempre fui, mas faltava essa oportunidade”, disse Rodrigues em um bate-papo com jornalistas durante intervalo de gravação da trama, no Rio de Janeiro.

O registro mais próximo que o público teve dela como vilã foi em "Negócio da China", novela escrita por Miguel Falabella que foi ao ar em 2008 na mesma emissora. Ela interpretou a gótica Stelinha, mestre em Kung Fu e integrante da máfia chinesa. 

A artista, no entanto, ressalta que nunca haviam apostado nela para a grande discrepância que é a personagem Fabiana.

"Acho importante falar que no Brasil existe muito preconceito em relação aos atores. A bonita sempre faz a bonita, a que tem cara de rica sempre faz a rica e tem sempre a gostosa. Eu já cheguei a pedir para fazer a gostosa e me olharam meio torto, mas eu disse: ‘Eu fico gostosa’, afinal sou atriz.”

Rodrigues revela que sentiu preconceito quando interpretou a cômica Gisele em "O Profeta". Segundo ela, o receio das pessoas ocorria porque não era comediante —o que em nada afetou sua autoestima como profissional. “Ser atriz é se desafiar”, diz.

Nas ruas, o público aprova a volta de Fernanda Rodrigues em uma nova roupagem nas telinhas. Sua participação na trama seria apenas durante dez capítulos, no início da novela, mas a expectativa de sucesso foi superada e, por isso, Carrasco a chamou para continuar a saga de Fabiana no folhetim.

"Fabiana tinha uma função na história, que era mostrar o lugar em que a Clara [papel de Bianca Bi] iria pegar os quadros, ficar rica e seguir a vida dela. Na minha cabeça não tinha esse retorno, mas foi um sucesso, as pessoas adoraram e fui convidada a voltar. Fiquei super feliz e emocionadíssima', comemorou.

Na atual novela da faixa das 21 horas da emissora carioca, a personagem de Rodrigues faz par com o médico Renato de Rafael Cardoso. O casal "Fabinato", segundo Rodrigues, faz sucesso porque tem bastante química. Em sua opinião, a paixão entre os dois é motivada pelo interesse mútuo em dinheiro. "O casal têm tesão no poder", diz.

"Esses dois viram que juntos, o poder deles duplica, ou seja, é uma dupla difícil de lidar. Coitadinha da Clara", aofimar a artista, aos risos. 

'O SER HUMANO DEU RUIM, NÉ?’

Enquanto a personagem Fabiana vive uma vida de egoísmo e de riqueza em "O Outro Lado do Paraíso", Fernanda Rodrigues mantém os pés no chão. Diz que apesar do glamour inerente à profissão de atriz, ela prefere se manter à margem disso. Busca usar as redes sociais para promover a carreira, mas também aproveita sua popularidade para divulgar mensagens e promover ações do bem.

Recentemente, ela fez uma postagem no Instagram mostrando que a filha Luiza, 8, havia cortado os cabelos e feito uma doação para a Fundação Laço Rosa, ONG que mantém um banco de perucas destinado a crianças com câncer.

"Depois disso, a Fundação me ligou dizendo que eles nunca tiveram tanta doação de cabelo. Precisamos usar as redes sociais a nosso favor, mas a favor do outro também [...] O ser humano deu ruim, né? Mata-se por muito pouco, briga-se por muito pouco. Até na internet as pessoas vão na sua página para brigar e criticar. Tento, da maneira que dá, passar mensagens positivas."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem