Televisão

Bia Bertu, a neném de 'Bebê a Bordo', diz que gravava até 16 horas por dia 

Bia Bertu, a Heleninha de "Bebê a Bordo" em 1988 e em 2016
Bia Bertu, a Heleninha de "Bebê a Bordo" em 1988 e em 2016 - Divulgação/Reprodução Facebook
Beatriz Fialho
São Paulo

Aos dez meses de idade, Beatriz Bertu, 30, era uma celebridade mirim. No papel de Heleninha, a neném de "Bebê a Bordo" (Globo), a atriz cativou o público ao longo de 209 capítulos —embora nunca tenha visto sua própria atuação. 

"Nunca assisti nada. Essa vai ser a primeira vez que vou assistir", comentou ela, em entrevista ao "F5". Mas ela terá uma chance de assistir ao folhetim, 30 anos depois das gravações. Nesta segunda (15), o canal Viva reprisa a novela, às 15h30.

Na trama, Heleninha é filha de Ana (Isabela Garcia) e veio ao mundo em um momento inesperado, dentro do carro de Tonico Ladeira (Tony Ramos), enquanto sua mãe fugia da polícia. No princípio, Ana não tinha a intenção de ficar com a filha, o que despertou uma disputa pela criança. 

Hoje, Bia Bertu reconhece a oportunidade única de atuar ao lado de nomes tão importantes. "Me  sinto honrada por ter estado no colo desses atores. É engraçado porque depois que eu cresci, estudei, e fiz faculdade, eu entendo qual é a importância destas pessoas", disse. 

Ela relata, no entanto, que as gravações foram um desafio. "Minha mãe sempre conta que era muito cansativo porque, na época, não existia o Projac [atualmente chamado de Estúdios Globo]. Gravava trinta cenas por dia e, às vezes, começávamos às 10h e íamos até as 4h do dia seguinte."

Mas, mesmo com o cansaço, Bertu se dava muito bem com as câmeras. "Ela [mãe] conta que fiquei muito doente na época da novela mas comenta que eu gostava muito."

E, mesmo depois de tanto tempo após a exibição da novela, Bia mantém contato com Isabela Garcia. "Por WhatsApp e redes sociais, a gente sempre se fala. Ela tinha uma relação muito próxima comigo e com a minha família durante as gravações. Estava sempre com a minha mãe, então a gente criou esse laço mais estreito."

Com Tony Ramos o contato é menos frequente. Bertu não via o ator desde as gravações, até que, em março de 2016, eles se encontraram no programa "Altas Horas" (Globo). "Ele era a pessoa que não via há mais tempo. Foi uma coisa natural, ele trabalha muito também", explicou ela.

ATRIZ

Ser atriz não estava nos planos de Bia Bertu, mesmo depois do sucesso quando pequena. Depois da novela, ela não teve nenhum contato com os palcos até se formar no ensino médio, quando decidiu estudar artes cênicas.

"Na verdade, não pensava em ser atriz. Virei ginasta de trampolim, entrei para a seleção brasileira, disputei dois campeonatos mundiais", comenta ela. "Não sabia se queria fazer educação física e minha mãe falou 'ah, vai fazer um curso de teatro, todo mundo fala que você leva jeito'."

Hoje, Bia está em cartaz com a peça "Tubarões", no teatro Senador, no Rio. "Meu forte mesmo é o teatro, mas tenho vontade de voltar para a TV." Em março, a atriz estreia com "A Ordem Natural das Coisas", também no Rio. 

E, por incrível que pareça, Bertu é reconhecida nas ruas. "Tem muita gente que me reconhece. Não é uma coisa que acontece sempre mas já aconteceu, várias vezes. As pessoas ficam sempre assim: 'Eu te conheço de algum lugar'", conta ela. "E todo mundo que descobre sempre comenta que é a mesma carinha". Tem como discordar? 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias