Comic Con

No Brasil, Gal Gadot fala sobre Mulher-Maravilha inspirar meninas: 'Faz tudo valer a pena'

Segundo filme da heroína se passa em 1984 e estreia em junho de 2020

Gal Gadot na CCXP 2019
Gal Gadot na CCXP 2019 - Eduardo Martins/AGNEWS
São Paulo

Em uma onda de protagonismo feminino na cultura pop, o painel do filme "Mulher-Maravilha 1984" fechou a Comic Con Experience 2019. Com a diretora Patty Jenkins e a atriz Gal Gadot, que interpreta a protagonista, foi exibido com exclusividade o primeiro trailer da continuação da história da super-heroína, com um minuto e meio de cenas extras que não serão liberadas no trailer que chegará à internet. 

"Ela está triste, perdeu todos os seus amigos, e está fazendo o que precisa fazer, está ajudando as pessoas, até que uma coisa louca acontece com ela", resumiu Gadot sobre o longa, que se passa em 1984. "Esse é o maior filme que já fiz na minha vida. Em termos de escala e de ser épico. Fomos para o mundo inteiro [...] precisei de ajuda de acrobatas."

A atriz também falou sobre o protagonismo feminino na produção e como ele dá voz às mulheres. "Isso faz tudo valer a pena. Vocês são a razão pela qual fazemos esse tipo de filme. Acho que não é só para meninas e mulheres, é para todos."

A diretora, que também foi recebida com entusiasmo, disse que não foi difícil conectar o novo filme ao anterior. "Quis fazer 'Mulher-Maravilha' porque acredito nos valores dela [...] Ela é carinhosa, tem muito cuidado com as pessoas. Ela é o super-herói do futuro."

Pela primeira vez na CCXP, o painel foi transmitido ao vivo na internet para o mundo todo (com exceção do trailer exclusivo). O filme, que estreia em junho de 2020, também trará o ator Chris Pine de volta, como o parceiro romântico da heroína, Steve Trevor.

"Não colocamos Steve nesse filme só porque queríamos ele. Sabíamos que a história não poderia ser contada sem ele [...] ele é muito importante nela", confirmou a diretora.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem