Comic Con

'Vingadores: Guerra Infinita' é 96% efeitos especiais, diz especialista

Kelly Port disse que foram necessários 98 mil HDs de 1 terabyte para gravar o longa

Kelly Port, supervisor de efeitos especiais da Digital Domain, em painel da Comic Con Experience 2018
Kelly Port, supervisor de efeitos especiais da Digital Domain, em painel da Comic Con Experience 2018 - CCXP

Beatriz Vilanova
São Paulo

Thanos, o supervilão da Marvel que aparece nos filmes dos Vingadores, foi o tema do primeiro painel no principal palco do festival Comic Con Experience 2018, em São Paulo, nesta quinta-feira (6).

Após a palestra de abertura do evento, Kelly Port, o supervisor de efeitos especiais da Digital Domain, foi convidado para falar sobre a criação gráfica do personagem Thanos no filme “Vingadores: Guerra Infinita”.

Na ocasião, Port mostrou curiosidades da produção, como o fato de terem sido necessários 98 mil HDs de 1 terabyte para conseguir armazenar os efeitos visuais do filme. “De 2.700 tomadas que fizemos, 2.600 contam com efeitos especiais”, comentou.

Port aproveitou para fazer uma comparação com o espaço utilizado pelo filme "Titanic", que ocupou 1 terabyte de memória na época em que foi produzido, nos anos 1990.

“Pegamos os moldes [dos personagens] com a Marvel e trabalhamos em cima do modelo estético", diz ele. "Passamos bastante tempo pensando nos detalhes, especialmente no rosto e sombreamento do personagem.”

 

“Vingadores: Guerra Infinita” foi o quarto filme a superar os US$ 2 bilhões (aproximadamente R$ 7,76 bilhões) de gastos, segundo anunciou a Disney no lançamento do longa em abril de 2018. “Foi o maior e mais caro filme que fizemos”, afirmou Port no painel.

A continuação da trama, que será o 4º filme dos Vingadores, deve chegar aos cinemas em 27 de abril de 2019.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem