Nerdices

Razer Phone 2 é lançado durante a BGS 2018 e foi pensado para os gamers

Celular deve chegar ao Brasil em 2019, com processador e tela melhorados

Razer Phone 2 é lançado durante a BGS 2018 e foi pensado para o público gamer
Razer Phone 2 é lançado durante a BGS 2018 e foi pensado para o público gamer - Divulgação

Beatriz Fialho
São Paulo

A Razer lançou nesta quinta-feira (11) durante a Brasil Game Show, em São Paulo, o Razer Phone 2, o segundo aparelho mobile da marca que é conhecida por seus produtos da linha gamer como headphones, teclados e mouses.

Com uma tela de 120Hz e 5,7 polegadas (50% maior que o primeiro modelo), o produto atrai aqueles jogadores profissionais de mobile que buscam mais brilho e nitidez. A proporção 16:9, semelhante às telas de cinema e televisão, também torna a jogabilidade mais confortável. 

O processador Snapdragon 845 promete rodar jogos mobile sem bugs (segundo a marca, a performance deve ser 30% melhor do que a de seu antecessor). A bateria pode ser carregada por indução e dura 10 horas quando utilizada como um celular normal–cerca de 8 horas quando usado para jogar. 

Quanto à memória, o aparelho possui 8 GB de memória RAM e memória interna de 64 GB (com slot para micro SD de até 1 Tb). A câmera, motivo de reclamações na versão anterior, é de 12 mega pixels (traseira) e 8 mega pixels (frontal) e não figura entre os principais destaques do aparelho.

​No vidro traseiro o logo da marca é feito com tecnologia chroma, iluminado em cores que podem ser personalizadas (e que também mudam automaticamente de acordo com o jogo que está sendo rodado). 

O primeiro Razer Phone foi lançado em 2017 no exterior e não chegou a ser comercializado no Brasil. João Martins, diretor da Razer no Brasil, afirma que os planos são diferentes para o novo aparelho –que, nos Estados Unidos, será vendido por US$ 699 (R$ 2.630).

A expectativa é que o Razer Phone 2 chegue ao país custando cerca de R$ 3.500, se os planos se concretizarem, até o início do próximo ano. “Estamos em negociação com operadoras, nosso interesse é trazer por esse meio. Existe um “plano b”, que é conversar com algumas lojas parceiras. Até o final do próximo mês devemos ter um retorno”, disse ele. 

De qualquer maneira, Martins afirma que o Brasil é uma de suas prioridades no que se refere ao mercado. “Buscamos investir no mercado brasileiro por conta, justamente, do mercado crescente de e-sports. O mobile está crescendo na área de competições então é quase uma obrigação nossa trazer esse aparelho para o Brasil.”

Segundo Martins, a marca levou em consideração o feedback dos usuários do primeiro Razer Phone. “Temos uma parceria com youtubers e gamers. Tanto esse estudo de mercado quanto esses aprimoramentos do produto foram feitos levando em consideração o que eles acharam.”

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem