Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Música

Alceu Valença: 'Não consigo entender o que está acontecendo'

Aos 75, cantor se diz intrigado e impressionado com plateia jovem e novos fãs

Cantor Alceu Valença, em foto colorida, com o microfone na mão, no palco
Alceu Valença em show recente: "Virei viral", brinca - Instagram/alceuvalenca - Ricardo Nunes
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Rio de Janeiro

Alceu Valença, 75, está surpreso. Com mais de 50 anos de carreira, o cantor pernambucano sabe do poder da internet mas se diz positivamente intrigado com o sucesso que vem fazendo entre o público jovem, "de 20, 25 anos" sem que tenha trabalhado especificamente para isso.

​​​Não houve uma estratégia para que, por exemplo, o clipe de "La Belle du Jour", atingisse a marca de 269 milhões de visualizações no YouTube. "Anunciação", do início dos anos 1980, virou hit nas festas pelo Brasil afora. Alceu curte a onda, claro. Ele conversou com o F5 durante a abertura da exposição do amigo e diretor Walter Carvalho, no Rio.

"Não entendo esse movimento de renovação natural e posso dizer que Alceu Valença virou viral (risos).Me assusta ver a meninada nos meus shows, cantando até o repertório do início da minha carreira, quando se bobear nem os pais deles eram nascidos. Um absurdo", diverte-se.

Alceu anda fazendo uma média de 8 a 10 shows por mês e sabe que tem na tecnologia um grande aliado. "As plataformas nos aproximaram do público. Acabou o domínio anglófono, agora eu posso ouvir uma música em qualquer idioma que eu quiser. Isso é maravilhoso", comemora.

O cantor parece animado para falar sobre qualquer assunto - mas não venha puxar papo sobre política ou querer saber para quem vai o seu voto nas eleições presidenciais. "Voto em quem eu quiser e não tenho obrigação de contar, digo só quando eu tiver vontade", corta Alceu.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem