Música

Biquini Cavadão comemora 30 anos de 'Vento Ventania' em parceria com Mundo Bita

Em duas semanas, versão infantil da música teve mais de 1,5 milhão de execuções

Bruno Gouveia, vocalista do Biquini Cavadão

Bruno Gouveia, vocalista do Biquini Cavadão Laura Tardin/Divulgação

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Há 30 anos, os integrantes do Biquini Cavadão pedem para o vento levá-los para as bordas do céu para puxar as barbas de Deus. Foi em 1991, com o lançamento do álbum "Descivilização" que a banda estourou no cenário do pop rock nacional.

Ao longo dos anos, a banda foi colecionando hits, mas "Vento Ventania" continua a ser uma das mais tocadas nas rádios e a integrar o repertório (que não pode faltar) em shows, além de ser a música mais popular da banda no Spotify. Agora, ela tem conquistado um público bem mais jovem.

No começo do ano, o clássico do rock ganhou uma versão infantil, parceria de Bruno Gouveia, vocalista do Biquini, com o Mundo Bita, projeto que une música e animações e faz sucesso no YouTube, onde tem mais de 7 milhões de inscritos. Em pouco mais de duas semanas, foram mais de 1,5 milhão de execuções.

Ao F5, Gouveia afirma que a ideia partiu dele, que já era fã do canal por causa dos filhos, Letícia, de seis anos, e Leonardo, de sete meses. "Como pai, já conhecia havia muitos anos", lembra. "Quando a Letícia nasceu, eles estavam lançando o primeiro CD."

"Quando o meu filho nasceu, em 2020, coincidiu de eu ver novamente [Mundo Bita] e descobri que eles estavam fazendo releituras de músicas populares", diz. "Sempre fui admirador do cuidado deles de sempre retratar assuntos relevantes, da forma de fazer os desenhos e da delicadeza dos arranjos."

Ele diz que ficou admirado com o trabalho feito em cima de sucessos como "Anunciação" e "Como Uma Onda". "Foi natural que eu quisesse fazer uma nossa também", afirma. "Contactei eles para dar os parabéns e falei que estava à disposição."

Gouveia afirma que entrou em estúdio em dezembro passado para gravar a versão, que ganhou um arranjo delicado e um clipe bem lúdico. "Trouxeram um arranjo lindo, me senti muito feliz como músico e como pai", avalia. Aliás, ele não foi o único que aprovou. "Quando contei que faríamos o Mundo Bita, a Letícia fez uma festa enorme", afirma. "E o meu filho fica mais ouriçado quando coloco para tocar."

O músico avalia a parceria como uma forma de reinterpretar a música para os novos tempos. "'Vento Ventania' sempre foi um libelo à liberdade, penso que esses ideais não se perdem com o tempo", diz. "Ao longo da nossa carreira, já tínhamos visto famílias que foram passando o carinho pela banda de pai para filho", lembra. "Mas o Mundo Bita vai fazer isso acontecer muito mais cedo, vai ser o elo para apresentar a música para toda uma geração."

O lançamento foi mais uma forma de se aproximar do público, enquanto ainda não é possível retomar os shows. "Nós tentamos lidar com a pandemia do coronavírus ficando em casa, com leveza e com o desejo que o vento pudesse nos tirar daqui o mais rápido possível", diz.

Mesmo sem os encontros com o público, a banda lançou em 2020 o álbum "Ilustre Guerreiro (Ao Vivo)". Trata-se do registro do show em homenagem a Herbert Vianna, dos Paralamas do Sucesso. O colega, aliás, foi o responsável pelo nome da banda, que ele sugeriu enquanto ajudava na gravação do primeiro single do grupo, "Tédio" (1985).

Ainda no ano passado, foram disponibilizadas as músicas "Todo o Amor Que Houver Nessa Vida" e "Múmias", de Cazuza e Renato Russo, respectivamente. Além disso, lançaram clipes e fizeram parcerias com outros artistas. Nada de ficar parado.

Para 2021, a ideia é retomar os shows assim que a pandemia deixar. A banda já está com o novo álbum, do qual ainda não divulgaram os detalhes, pronto. "Serão nove músicas inéditas", antecipa Gouveia. "Tão logo possamos voltar para a estrada, a gente anuncia as datas e lança."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem