Música

Luis Fonsi diz que não espera repetir mesmo sucesso de 'Despacito': 'Seria pedir demais'

Cantor lança nova música e fala em fazer versão em português

O cantor Luis Fonsi

O cantor Luis Fonsi Divulgação

São Paulo

Devagarinho, Luis Fonsi, 42, vai dando sequência a sua carreira depois do sucesso estrondoso de "Despacito". Nas últimas semanas, lançou "Perfecta", ao lado do conterrâneo portorriquenho Farruko. A música, cujo clipe somou mais de 5 milhões de visualizações em quatro dias, deve se tornar a primeira de seu próximo álbum.

"É como se fosse o começo deste novo ciclo de um disco que vai ser lançado no ano que vem", contou ao F5. "É uma história de amor, no fim das contas. É a história de um jovem que está muito apaixonado por uma mulher e quer dizer a ela o quanto ela é perfeita para ele."

"Da forma como eu vejo, é uma música que celebra a beleza da mulher e como é importante dizer para as mulheres: 'Quer saber, você é perfeita para mim do jeito que você é'."

Ele diz ter se inspirado não em alguém específico, mas em várias mulheres que foram fundamentais ao longo da vida dele. "Penso na minha esposa, penso na minha filha, penso na minha mãe, são as três mulheres mais importantes que tenho na vida", relatou. "Penso na minha irmã… Não sei, penso nessa mulher forte, segura de si e que é perfeita do jeito que é."

A música foi escrita em plena pandemia. "É definitivamente diferente agora a forma como trabalhamos e divulgamos as músicas porque temos que fazer tudo assim, via Zoom", explicou. "Por sorte, conseguimos gravar a música juntos, gravamos o vídeo aqui em Miami, seguindo, claro, todos os protocolos e regras para nos asseguramos de que estamos nos cuidando. É um pouco diferente, você tem que se adaptar."

Fonsi confessa que não espera repetir o sucesso global de "Despacito". "Não passa pela minha cabeça", avaliou. "Tentar competir com esse momento da minha vida seria frustrante. A realidade é que isso aconteceu uma vez e não acredito que vá se repetir. Ter a pretensão de que aconteça comigo outra vez acho que é pedir demais."

Além da nova música com Farruko, que ele diz ter colocado também sua marca na canção, Fonsi tem outras parcerias de sucesso, como a própria "Despacito", em que dividiu os vocais com Justin Bieber na versão em inglês, e "Échame La Culpa", com Demi Lovato. "Sou fanático das colaborações", admitiu. "Acho bonito as pessoas se encontrarem para fazer música juntos."

"Tem muita gente com quem eu quero gravar", contou. "[E] tem gente com quem gostaria de gravar de novo". Na lista, ele diz que tem vários brasileiros inclusive. Ele revelou que já gravou um feat com um artista nacional, mas fez mistério. "Ainda não lançamos, mas vai sair muito em breve", disse. "Quando estiver mais definido vou falar sobre isso."

"Estou louco para ir ao Brasil", contou também. "Estou louco para sair de casa. Estou com muita vontade de voltar, com muita vontade de lançar os projetos de que te falei. E quem sabe se conseguimos fazer uma versão em português de 'Perfecta' também. 'Perfeita'! Quem sabe a gente consiga."

Enquanto isso não acontece, ele se dedica a apoiar o candidato democrata Joe Biden, principal oponente de Donald Trump, nas eleições americanas marcadas para o próximo dia 3 de novembro. Ele chegou a participar de um evento de campanha.

"Eu não me envolvo muito com política, mas neste momento achei importante", avaliou. "Acho que o mundo precisa de amor, união, igualdade, respeito… e acho que isso tudo começa pelos nossos líderes políticos. Talvez o nosso atual líder político não tenha uma mensagem de unidade."

Ele relata ter começado a perceber no país que o acolheu "um ódio muito estranho especificamente contra os latinos e negros". "Sinto que estamos vivendo tempos de muita divisão", afirmou. "Não é necessariamente um tema político, é um tema de respeito aos nossos irmãos."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem